Seja bem-vindo. Hoje é

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Mulheres rurais da Bahia ganham apoio no enfrentamento da violência

Mulheres rurais da agricultura familiar, assentadas, quilombolas e marisqueiras dos 27 Territórios de Identidade da Bahia ganharam apoio no enfrentamento da violência doméstica. Nesta quarta-feira (31), o governador Rui Costa anunciou a implantação da Ciranda com a Ronda Rural Maria da Penha, durante evento realizado na sede da União dos Municípios da Bahia (UPB), em Salvador. O investimento é na ordem de R$ 291,6 mil.

A iniciativa propõe ações preventivas e integradas de enfrentamento da violência cometida contra mulheres do campo. Serão realizadas, nos municípios, oficinas educativas com temas como relações interpessoais, relações de gênero e conhecimento prático da Lei Maria da Penha. 

O secretário da SDR, Jerônimo Rodrigues, afirmou que essa é uma ação em rede, que conta com a parceria de seis secretarias para o enfrentamento das agressões contra as mulheres rurais, levando a conscientização dos homens e das mulheres sobre os tipos de violência, suas consequências, como evitar e como se defender. “Utilizaremos o conhecimento da Lei Maria da Penha e os mecanismos disponibilizados pelo Governo para combater a violência nos municípios”. 

A Ciranda com a Ronda Rural Maria da Penha é uma iniciativa da SDR em parceria com as secretarias de Segurança Pública (SSP), de Promoção da Igualdade Racial (SEPROMI), de Políticas para Mulheres (SPM), da Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura (SEAGRI) e de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS).

A superintendente de Políticas Territoriais e Reforma Agrária (Sutrag/SDR), Fernanda Silva, enfatizou a importância da parceria com os municípios. “As oficinas da Ciranda começam a ser realizadas neste mês de junho, junto com a equipe da SSP, para dialogar com a comunidade sobre os tipos de violência, física e verbal, e também para conscientizar os homens e acolher as mulheres, pois muitas ainda não sabem quais os mecanismos que podem ser acessados para garantir sua segurança”. 

Segundo a Major da Polícia Militar da Bahia (PM), Denice Santiago, as secretarias perceberam que a zona rural carecia de informações e de uma rede consolidada da prevenção e enfrentamento da violência contra a mulher. “Dialogamos com a Sutrag/SDR sobre a criação de um programa que pudesse levar informações às mulheres e, além disso, que conversasse com a rede local e de assistência a essas mulheres para que pudessem recorrer em caso de necessidade. Assim construímos a Ciranda com a Ronda, que visa levar a essas mulheres, e também aos homens, informações, sensibilizando-os para que a gente possa erradicar, também na zona rural, esse tipo de crime”. 

A prefeita de Banzaê, Jailma Dantas, declarou que essa é uma ação inovadora para os municípios. “Todas as ações que o governo tem feito vêm para alertar a mulher do seu papel e da importância que ela tem como mulher e cidadã e conscientizar os homens que violência é ilegal e imoral”. 

Além das oficinas educativas com as mulheres do campo, a equipe de profissionais fará uma intervenção junto à Rede de Segurança Pública local para alinhamento da ação das oficinas, assim como tratar da Lei Maria da Penha na instituição preparando-a para absorver as demandas que poderão surgir como resultado da conscientização das mulheres sobre seus direitos.

0 comentários :

 
SALVADOR NOTÍCIAS - Notícias, Reportagens, Cultura e Entretenimento.
Todos os direitos reservados desde 2003 / Salvador - Bahia / . Contato: redacao@salvadornoticias.com
- Topo ↑