Seja bem-vindo. Hoje é

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Museu Tempostal comemora 20 anos com retrospectiva histórica

Uma contação especial em forma de retrospectiva histórica contada pelo personagem ‘Marcelino’ – referência ao sergipano Antônio Marcelino, que reuniu uma coleção de 30 mil postais, estampas e fotografias - marca o aniversário de 20 anos do Museu Tempostal, no Pelourinho/Centro Histórico de Salvador, administrado pela Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac), unidade da Secretaria do Estado da Bahia (Secult). A atividade, aberta ao público, é uma parceria com o Grupo Contadeiras e acontece às 15 desta terça-feira (21). Depois, a visitação por der feita de terça-feira a sábado, das 13hàs 17h, também com entrada gratuita.

‘O personagem ‘Marcelino’, em seu relato, vai trazer recordações que vão contar a sua história e a do surgimento do museu. Após a apresentação, abriremos um bate-papo de onde possam surgir vivências e outros comentários, sobre o espaço e o personagem que foi tão querido por muitos. Teremos convidados de colégios locais, além de pessoas que conheceram Marcelino”, explica a coordenadora doTempostal, Luzia Ventura.

Tempostal
imagens representativas da Bahia Antiga e cartões-postais da Belle Époque integram acervo do museu
(Foto: Rafael Martins) 

Em 1995, o Governo do Estado, por meio da então Secretaria da Cultura e Turismo, adquiriu a coleção particular de Antônio Marcelino do Nascimento (1929-2006), construída com perseverança durante 40 anos. O acervo foi apresentado ao público em 5 de novembro de 1997, data da inauguração do espaço, em um sobrado do século 19, antigo ponto comercial do conde português Pereira Marinho. 
Apresenta cerca de 40 mil imagens, entre postais, estampas e fotografias, sendo 30 mil da coleção reunida por Marcelino. As peças, datadas do final do século 19 e meados do século 20, representam imagens de valor histórico, artístico e documental da Bahia, do Brasil e diversos países do mundo, sobre as mais variadas temáticas.

Destacam-se na coleção, as imagens representativas da Bahia Antiga, retratada por fotógrafos estrangeiros e nacionais de renome entre o século 19 e 1930, os cartões-postais da Belle Époque, pela beleza e variedade dos materiais utilizados na confecção das peças, e as estampas do Sabonete Eucalol. Lançadas pela Perfumaria Myrta em 1927, eram objeto de fascínio entre os jovens da época. Por apresentar textos explicativos sobre vários temas nas estampas. O prédio onde está instalado o museu dispõe de três andares, dois na parte frontal do edifício voltado para a Rua Gregório de Mattos, e três andares na parte anterior voltada para a Praça das Artes. 

Antônio Marcelino 

Nascido em Sergipe, Antônio Marcelino do Nascimento (1929-2006) colecionava, desde garoto, recortes de jornais e livros ilustrados. Em 1947, se transferiu para Salvador e iniciou uma coleção que incluía de santinhos de catecismo a biscuit e máquinas fotográficas antigas. Ao longo da vida, acumulou postais que registram diferentes fases do desenvolvimento histórico, geográfico e cultural de todos os estados brasileiros e de vários países. Realizou sua primeira exposição em 1965. Um museu particular foi criado por ele, em 1974, no casarão onde residia na Rua do Sodré, no Centro de Salvador. Em novembro de 2006, o colecionador se sentiu mal em casa e faleceu a caminho do hospital. 

Fonte: Ascom/Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Dimus/Ipac)

0 comentários :

 
SALVADOR NOTÍCIAS - Notícias, Reportagens, Cultura e Entretenimento.
Todos os direitos reservados desde 2003 / Salvador - Bahia / . Contato: redacao@salvadornoticias.com
- Topo ↑