Seja bem-vindo. Hoje é

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Semana de Conscientização dos Direitos dos Animais

Feliciano Filho*

A forma como tratamos os animais é um retrato do nosso grau de civilidade. Ao criar a Semana de Conscientização dos Direitos dos Animais, que acontece de 28 de setembro a 4 de outubro e faz parte do calendário de eventos oficial do Estado de SP, minha intenção foi estimular a reflexão da sociedade sobre as dores impostas sistematicamente aos animais, sejam eles domésticos, domesticados, silvestres ou exóticos.

Os animais são seres sencientes. Eles sentem amor, medo e angústia. Mas não podem se defender, não têm voz e nem a quem recorrer. Por isso que gostaria de ressaltar a importância da proteção animal e de todos que dedicam seu tempo, ou parte dele, a defender os direitos dos animais.

É um trabalho árduo, dispendioso e, muitas vezes, pouco reconhecido. Os protetores enfrentam um turbilhão de dificuldades como transporte para resgates, lares temporários, auxílio veterinário e medicamentos. Isso sem falar em seu incansável trabalho corpo a corpo de conscientização, mostrando a importância da castração, da posse responsável e de combate ao abandono e maus-tratos.

Por outro lado, mesmo tomando para si um trabalho que deveria ser do Poder Público, os protetores têm que enfrentar também o descaso de governantes míopes, que não alocam recursos para programas de castração, não dialogam com a proteção animal, dificultam a implantação de políticas públicas e chegam até a vetar emendas e legislações vitais para o bem-estar animal.

E há ainda um cenário mais obscuro por trás da violência cometida contra os animais. Recentes pesquisas comprovam que a crueldade cometida contra um animal está diretamente ligada a personalidades perigosas para a sociedade. Psicólogos, sociólogos e criminologistas constataram que a maior parte dos atos de crueldade cometidos intencionalmente contra animais precedem os atos de crueldade contra humanos. Segundo o FBI, 80% dos serial killers começam sua vida de crimes matando animais e quase todo lar onde há violência doméstica há também violência contra animais.

Ensinar a população a respeitar outras formas de vida e conscientizar sobre a existência de Leis que consideram crime os atos de crueldade contra os animais contribui para a formação de uma população mais atuante, consciente, responsável e solidária.

Conscientizar para os Direitos dos Animais é dever de todos nós.

* Feliciano Filho é vegetariano, ativista pelos direitos dos animais e deputado estadual pelo PSC

0 comentários :

 
SALVADOR NOTÍCIAS - Notícias, Reportagens, Cultura e Entretenimento.
Todos os direitos reservados desde 2003 / Salvador - Bahia / . Contato: redacao@salvadornoticias.com
- Topo ↑