F F | SALVADOR NOTÍCIAS - Notícias, Reportagens, Cultura e Entretenimento.

<;h2>

Seja bem-vindo. Hoje é

Nós apoiamos!

Denúncia

Cidade

Brasil

Mundo

Municípios

Segurança

Esporte

Política

Economia

Turismo

Saúde

Gastronomia

Utilidade Pública

Cultura

terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

Bloco Sal da Terra vai levar alegria, paz e esperança no Carnaval do Pelourinho


Conhecido pela explosão de alegria, celebração e diversidade artística, o bloco Sal da Terra vai se apresentar no circuito Batatinha entre os dias 21 e 25 de fevereiro. As atividades dividem-se entre desfiles nas ruas do Pelourinho no turno vespertino e shows na Praça da Sé no período noturno.

Além das expressões artísticas, o Sal da Terra é conhecido no Centro Histórico como um bloco que promove a alegria, paz, amor e harmonia no circuito, princípios caros à cultura cristã, da qual a agremiação é representante. “O sal tem como uma de suas características conservar o alimento. É isso que o bloco Sal da Terra faz todos os anos no Pelourinho: obedecendo as palavras de Jesus, vamos promover posturas positivas que garantem a paz, a liberdade e a preservação da vida da população”, afirmou o presidente do bloco, pastor Ubirajara Gomes.

Entre as atrações artísticas, destaque para o cantor Cid Guerreiro, o casal de dançarinos e performistas paranaenses Pastor Beto e Char, além dos grupos soteropolitanos Ministério de Dança Equilíbrio, Grupo de Teatro Elohim e grupo de teatro infantil, que levarão apresentações das mais diversas linguagens artísticas.

Bloco Sal da Terra: Vinculado à Igreja Batista Missionária da Independência (IBMI), em Nazaré, é formado por alas de dança, personagens infantis, instrumentos de sopro, banda de percussão, além de centenas de fiéis que acompanham o desfile nas ruas e ladeiras do Pelourinho, configurando-se um dos maiores blocos do circuito. Além disso, o grupo conta com um palco instalado na Praça da Sé, onde acontecem apresentações de teatro adulto e infantil, performances de danças e dramas, shows musicais, malabares, truques de mágica, entre outros.

Reconhecido em todo Brasil e até em outros países o bloco vem atraindo diversos grupos artísticos do segmento evangélico nacional e internacional. É o caso do bloco de frevo recifense Rugido do Leão e da Bateria de Escola de Samba da Bola de Neve, de Santos, que já realizaram intercâmbios musicais no Pelourinho. Além disso, a Praça da Sé tem sido palco para artistas de grande destaque, como o cantor de samba-reggae Lázaro, o representante do reggae Nengo Vieira, o sertanejo Marcos Nunes, o sambista Waguinho, além da maior banda internacional de reggae, Christafari.

PROGRAMAÇÃO BLOCO SAL DA TERRA

21 a 25 de fevereiro de 2020 - Pelourinho

(21/02) Sexta-feira:

20h30 – Show na Praça da Sé

(22 a 25/02) Sábado a Terça-feira:

16h – Desfile com saída na Rua das Laranjeiras

17h30 – Programação Infantil no palco instalado na Praça da Sé

18h às 23h30 – Show noturno no palco instalado na Praça da Sé
Leia Mais >>

Carnaval da Cultura traz riqueza dos blocos afro e diversidade do Pelô

Fundamentado nas matrizes que construíram a nossa história, expressadas através das danças e musicalidade dos blocos afro e dos afoxés, na alegria e no gingado do samba, na força e balanço do reggae, que integram o Carnaval Ouro Negro em 2020. Com a diversidade de gerações e de ritmos que ocupam os palcos do Carnaval do Pelô, e que ainda toma conta das ruas mantendo a tradição que une os foliões no Centro Histórico. Por meio destes projetos de grande participação comunitária e popular, o Carnaval da Cultura, que integra o Carnaval da Bahia, do Governo do Estado, através da Secretaria de Cultura, dá continuidade às políticas de preservação e democratização na maior folia do mundo, que segue colorida, diversa e com o espírito folião que contagia todo baiano.

Pelô

Com o tema 70 Anos do Trio Elétrico, o Carnaval da Bahia traz uma justa homenagem à revolução que Dodô e Osmar provocaram na folia. No palco do Carnaval do Pelô, em noite de abertura, os Irmãos Macêdo – Armandinho, Betinho, Aroldo e André – herdeiros de Osmar e mantenedores desta história, vão trazer um repertório que se mescla a fatos históricos da folia baiana. A abertura será sexta-feira (21), às 20h, no Largo do Pelourinho, palco principal da festa no Centro Histórico. A festa terá continuidade com mais um grande mestre da música brasileira, a história do carnaval da Bahia está ligada à dele, Moraes Moreira. A apresentação está marcada para 22h30.  Finalizando a primeira noite de folia, sobe ao palco a cantora Amanda Santiago, levando a sua “batucada brasilady” para o carnaval.

Durante cinco dias de folia, o Carnaval do Pelô promove encontros no palco principal, reunindo gerações e nomes que à primeira vista podem parecer contrastar, porém no palco demonstram integração e sintonia. Os largos Pedro Archanjo, Tereza Batista e Quincas Berro D’Água unem as diferentes tribos, com uma grande diversidade de ritmos e atrações. Pelas ruas o clima é de carnaval das antigas, subindo e descendo na companhia das bandas e performances. E para completar a festa, vibrando com as comemorações dos 70 Anos do Trio Elétrico, o folião pipoca vai atrás dos microtrios e nanotrios, que encantam com criatividade e os sons dos diversos carnavais.

Os shows selecionados pelo Projeto Três Artistas começam no sábado (22) de folia, e começa com um encontro potente entre expoentes da música brasileira contemporânea, a carioca Ava Rocha, o paulista Leo Cavalcanti e o maranhense Negro Leo. Dando continuidade, o soteropolitano Raul Seixas, que se ainda estivesse vivo completaria 75 anos no ano de 2020, é homenageado por Bruna Barreto, Irmão Carlos Psicofunk e Orí, no show Raul 75, que mergulha na sua obra. O domingo (23) convida a uma viagem no tempo pelos carnavais da Bahia, de Pernambuco e outros da região, com o show Pelô Nordeste, Janaína Carvalho, Lala Carvalho e Pedro de Rosa Morais. A história do carnaval, passando pelas marchas carnavalescas, os sambas-enredo, a guitarra baiana e o samba reggae, caracteriza o show De Chiquinha a Moraes – A História Cantada do Carnaval, com Juliana Ribeiro, Morotó Slim e Peu Meurray.

Dando continuidade aos projetos selecionados, a força e a ancestralidade das grandes Iyalorixás e Alabês inspiraram “Pradarrum – Saudação às matriarcas”, que abre a noite segunda-feira (24) no Carnaval do Pelô, reunindo as potências do percussionista e alabê baiano Gabi Guedes, do griô senegalês Doudou Rose Thiorne e da cantora e compositora brasiliense Rose Thiorne. Movidos pela paixão ao samba, os cantores Simone Mota, Mazzo Guimarães e Luciano Salvador Bahia trazem o show “Eu Sambo Mesmo”, que traz grandes homenagens a compositores baianos do gênero. Terça-feira (25), dia de encerramento do Carnaval do Pelô, um dos grandes mestres da cultura popular, o repentista Bule Bule, se reúne ao cantor, compositor e violonista santamarense Roberto Mendes e à mansa fúria de Josyara para trazer ao palco o “Som Interior – Trovas Violadas de uma Bahia Profunda”. Em seguida, o contrabaixista, compositor e arranjador Luciano Calazans, ao lado de Alexandre Vieira e Cesário Leoni, apresenta “Ivetes, Maria Brasileira”. Encerrando as apresentações do projeto três artistas, Lazzo Matumbi, Skanibais e Duda Diamba apresentam TRIUNIDADE, no qual propõem um passeio musical cheio de misturas e influências mundiais, comprovados pela experiência e trajetórias dos artistas envolvidos.

Atrações dos estilos afro, antigos carnavais, arrocha, axé, guitarra baiana, rap, reggae, samba e orquestras, selecionadas via edital, promovem a mistura que promete balançar a folia nos largos Pedro Archanjo, Tereza Batista e Quincas Berro D’Água. Samba do Vai Kem Ké, Bailinho de Quinta, Clécia Queiroz, Dionorina, Mr Armeng, Vandal, Mavi, Gal do Beco e Orquestra Fred Dantas são alguns dos destaques entre os nomes que irão movimentar os cinco dias de programação.  Também tem opção para a criançada no Largo Pedro Archanjo, de sábado a terça-feira, sempre às 15h30, com os bailes infantis, que serão comandados por CadeiraDeBrin, Grupo Pé de Lata, Gatos Multicores e PUMM – Por um Mundo Melhor.

Quem ama o Carnaval do Pelô já sabe que não podem faltar os bloquinhos formados por bandinhas, bandões e grupos artísticos de performances, encantando no sobe e desce das ruas e ladeiras do Centro Histórico. Os desfiles acontecem de sábado a terça-feira, das 16h às 21h. Dentre as atrações, têm Escola de Samba Unidos de Itapuã, Folia Mamulengo, Cia de Danças e Folguedos, Filó Brincante e Paroano Sai Milhó.

A comemoração dos 70 anos do Trio Elétrico fica mais completa com a inventividade e o som contagiante dos microtrios e nanotrios que movimentam o folião pipoca. Estão dentro da folia os microtrios Banda Marana, Tuk Tuk Sonoro & Sylvia Patrícia, Los Cuatro, Rural Elétrica, Maíra Lins – Buteco Elétrico, e Microtrio Ivan Huol – Em Águas. Do lado dos nanotrios, a festa por conta de Bike Axé, Pelô Bossa Reggae, Coletivo Di Tambor e Rixô Elétrico.

Ouro Negro

O Governo do Estado segue fortalecendo o Carnaval dos blocos de matrizes africanas através do edital Carnaval Ouro Negro, que comemora 13 anos estimulando a participação de agremiações oriundas das diversas comunidades de Salvador, que tem na folia o ápice para as diversas atividades sociais que são desenvolvidas ao longo do ano. Indumentárias, toques percussivos, danças, performances e cantos fazem parte dos espetáculos, que trazem em si a força da ancestralidade e da tradição. 49 blocos, das categorias afro, afoxé, samba e reggae desfilam este ano com o apoio.

O bloco afro Olodum destaca-se no ano de 2020 com um tema que exalta a força feminina, homenageando as grandes mulheres que fizeram parte da sua história de mais de 40 anos, “Mãe, Mulher, Maria, Olodum – Uma História das Mulheres”. Um momento imperdível de todo ano é a tradicional saída do bloco de sua comunidade, no Pelourinho, na sexta-feira de carnaval, movimentando o circuito Batatinha antes de seguir para a avenida. Blocos afro comandados e formados por mulheres também reafirmam a sua força nos dias de desfile. Homenageando a Mãe Stella de Oxossi, A Mulherada desfila no circuito Osmar no primeiro dia de carnaval, quinta-feira, às 17h. O bloco afro Didá, que tem um trabalho social e cultural voltado para crianças e mulheres no Centro Histórico de Salvador, acredita no tambor como base educacional, e leva seu samba reggae, que consideram uma ferramenta de transformação social, para o Carnaval Ouro Negro. O tema do desfile será “Didá Iabá Mãe Natureza Guerreira, Natureza Mãe Mulher”.

Da categoria samba, um dos destaques mais celebrados será o bloco Alvorada, com o desfile que comemora os seus 45 Anos. Bloco pioneiro de samba da folia e da sexta-feira de carnaval na capital baiana, que não existia até 1975, a agremiação levará para a avenida este ano o tema “45 anos depois”, contando sua própria história. Na quinta-feira, dia mais movimentado para os blocos de samba do Ouro Negro na avenida, o Alerta Geral abre os festejos esbanjando elegância com o chapéu Panamá. Proibido Proibir, Pagode Total, Fogueirão, Na Moral, Samba e Folia, e o Rodopiô, que integra pela primeira vez o programa, são alguns dos demais blocos contemplados.

As agremiações Reggae O Bloco e o Ska Reggae levam para a avenida um pedido de paz, em sintonia com os valores divulgados pelo ritmo jamaicano, e mantendo a tradição dos blocos de reggae, que marcam a história da folia carnavalesca.Fundamentado nas matrizes que construíram a nossa história, expressadas através das danças e musicalidade dos blocos afro e dos afoxés, na alegria e no gingado do samba, na força e balanço do reggae, que integram o Carnaval Ouro Negro em 2020. Com a diversidade de gerações e de ritmos que ocupam os palcos do Carnaval do Pelô, e que ainda toma conta das ruas mantendo a tradição que une os foliões no Centro Histórico. Por meio destes projetos de grande participação comunitária e popular, o Carnaval da Cultura, que integra o Carnaval da Bahia, do Governo do Estado, através da Secretaria de Cultura, dá continuidade às políticas de preservação e democratização na maior folia do mundo, que segue colorida, diversa e com o espírito folião que contagia todo baiano.

Pelô

Com o tema 70 Anos do Trio Elétrico, o Carnaval da Bahia traz uma justa homenagem à revolução que Dodô e Osmar provocaram na folia. No palco do Carnaval do Pelô, em noite de abertura, os Irmãos Macêdo – Armandinho, Betinho, Aroldo e André – herdeiros de Osmar e mantenedores desta história, vão trazer um repertório que se mescla a fatos históricos da folia baiana. A abertura será sexta-feira (21), às 20h, no Largo do Pelourinho, palco principal da festa no Centro Histórico. A festa terá continuidade com mais um grande mestre da música brasileira, a história do carnaval da Bahia está ligada à dele, Moraes Moreira. A apresentação está marcada para 22h30.  Finalizando a primeira noite de folia, sobe ao palco a cantora Amanda Santiago, levando a sua “batucada brasilady” para o carnaval.

Durante cinco dias de folia, o Carnaval do Pelô promove encontros no palco principal, reunindo gerações e nomes que à primeira vista podem parecer contrastar, porém no palco demonstram integração e sintonia. Os largos Pedro Archanjo, Tereza Batista e Quincas Berro D’Água unem as diferentes tribos, com uma grande diversidade de ritmos e atrações. Pelas ruas o clima é de carnaval das antigas, subindo e descendo na companhia das bandas e performances. E para completar a festa, vibrando com as comemorações dos 70 Anos do Trio Elétrico, o folião pipoca vai atrás dos microtrios e nanotrios, que encantam com criatividade e os sons dos diversos carnavais.

Os shows selecionados pelo Projeto Três Artistas começam no sábado (22) de folia, e começa com um encontro potente entre expoentes da música brasileira contemporânea, a carioca Ava Rocha, o paulista Leo Cavalcanti e o maranhense Negro Leo. Dando continuidade, o soteropolitano Raul Seixas, que se ainda estivesse vivo completaria 75 anos no ano de 2020, é homenageado por Bruna Barreto, Irmão Carlos Psicofunk e Orí, no show Raul 75, que mergulha na sua obra. O domingo (23) convida a uma viagem no tempo pelos carnavais da Bahia, de Pernambuco e outros da região, com o show Pelô Nordeste, Janaína Carvalho, Lala Carvalho e Pedro de Rosa Morais. A história do carnaval, passando pelas marchas carnavalescas, os sambas-enredo, a guitarra baiana e o samba reggae, caracteriza o show De Chiquinha a Moraes – A História Cantada do Carnaval, com Juliana Ribeiro, Morotó Slim e Peu Meurray.

Dando continuidade aos projetos selecionados, a força e a ancestralidade das grandes Iyalorixás e Alabês inspiraram “Pradarrum – Saudação às matriarcas”, que abre a noite segunda-feira (24) no Carnaval do Pelô, reunindo as potências do percussionista e alabê baiano Gabi Guedes, do griô senegalês Doudou Rose Thiorne e da cantora e compositora brasiliense Rose Thiorne. Movidos pela paixão ao samba, os cantores Simone Mota, Mazzo Guimarães e Luciano Salvador Bahia trazem o show “Eu Sambo Mesmo”, que traz grandes homenagens a compositores baianos do gênero. Terça-feira (25), dia de encerramento do Carnaval do Pelô, um dos grandes mestres da cultura popular, o repentista Bule Bule, se reúne ao cantor, compositor e violonista santamarense Roberto Mendes e à mansa fúria de Josyara para trazer ao palco o “Som Interior – Trovas Violadas de uma Bahia Profunda”. Em seguida, o contrabaixista, compositor e arranjador Luciano Calazans, ao lado de Alexandre Vieira e Cesário Leoni, apresenta “Ivetes, Maria Brasileira”. Encerrando as apresentações do projeto três artistas, Lazzo Matumbi, Skanibais e Duda Diamba apresentam TRIUNIDADE, no qual propõem um passeio musical cheio de misturas e influências mundiais, comprovados pela experiência e trajetórias dos artistas envolvidos.

Atrações dos estilos afro, antigos carnavais, arrocha, axé, guitarra baiana, rap, reggae, samba e orquestras, selecionadas via edital, promovem a mistura que promete balançar a folia nos largos Pedro Archanjo, Tereza Batista e Quincas Berro D’Água. Samba do Vai Kem Ké, Bailinho de Quinta, Clécia Queiroz, Dionorina, Mr Armeng, Vandal, Mavi, Gal do Beco e Orquestra Fred Dantas são alguns dos destaques entre os nomes que irão movimentar os cinco dias de programação.  Também tem opção para a criançada no Largo Pedro Archanjo, de sábado a terça-feira, sempre às 15h30, com os bailes infantis, que serão comandados por CadeiraDeBrin, Grupo Pé de Lata, Gatos Multicores e PUMM – Por um Mundo Melhor.

Quem ama o Carnaval do Pelô já sabe que não podem faltar os bloquinhos formados por bandinhas, bandões e grupos artísticos de performances, encantando no sobe e desce das ruas e ladeiras do Centro Histórico. Os desfiles acontecem de sábado a terça-feira, das 16h às 21h. Dentre as atrações, têm Escola de Samba Unidos de Itapuã, Folia Mamulengo, Cia de Danças e Folguedos, Filó Brincante e Paroano Sai Milhó.

A comemoração dos 70 anos do Trio Elétrico fica mais completa com a inventividade e o som contagiante dos microtrios e nanotrios que movimentam o folião pipoca. Estão dentro da folia os microtrios Banda Marana, Tuk Tuk Sonoro & Sylvia Patrícia, Los Cuatro, Rural Elétrica, Maíra Lins – Buteco Elétrico, e Microtrio Ivan Huol – Em Águas. Do lado dos nanotrios, a festa por conta de Bike Axé, Pelô Bossa Reggae, Coletivo Di Tambor e Rixô Elétrico.

Ouro Negro

O Governo do Estado segue fortalecendo o Carnaval dos blocos de matrizes africanas através do edital Carnaval Ouro Negro, que comemora 13 anos estimulando a participação de agremiações oriundas das diversas comunidades de Salvador, que tem na folia o ápice para as diversas atividades sociais que são desenvolvidas ao longo do ano. Indumentárias, toques percussivos, danças, performances e cantos fazem parte dos espetáculos, que trazem em si a força da ancestralidade e da tradição. 49 blocos, das categorias afro, afoxé, samba e reggae desfilam este ano com o apoio.

O bloco afro Olodum destaca-se no ano de 2020 com um tema que exalta a força feminina, homenageando as grandes mulheres que fizeram parte da sua história de mais de 40 anos, “Mãe, Mulher, Maria, Olodum – Uma História das Mulheres”. Um momento imperdível de todo ano é a tradicional saída do bloco de sua comunidade, no Pelourinho, na sexta-feira de carnaval, movimentando o circuito Batatinha antes de seguir para a avenida. Blocos afro comandados e formados por mulheres também reafirmam a sua força nos dias de desfile. Homenageando a Mãe Stella de Oxossi, A Mulherada desfila no circuito Osmar no primeiro dia de carnaval, quinta-feira, às 17h. O bloco afro Didá, que tem um trabalho social e cultural voltado para crianças e mulheres no Centro Histórico de Salvador, acredita no tambor como base educacional, e leva seu samba reggae, que consideram uma ferramenta de transformação social, para o Carnaval Ouro Negro. O tema do desfile será “Didá Iabá Mãe Natureza Guerreira, Natureza Mãe Mulher”.

Da categoria samba, um dos destaques mais celebrados será o bloco Alvorada, com o desfile que comemora os seus 45 Anos. Bloco pioneiro de samba da folia e da sexta-feira de carnaval na capital baiana, que não existia até 1975, a agremiação levará para a avenida este ano o tema “45 anos depois”, contando sua própria história. Na quinta-feira, dia mais movimentado para os blocos de samba do Ouro Negro na avenida, o Alerta Geral abre os festejos esbanjando elegância com o chapéu Panamá. Proibido Proibir, Pagode Total, Fogueirão, Na Moral, Samba e Folia, e o Rodopiô, que integra pela primeira vez o programa, são alguns dos demais blocos contemplados.

As agremiações Reggae O Bloco e o Ska Reggae levam para a avenida um pedido de paz, em sintonia com os valores divulgados pelo ritmo jamaicano, e mantendo a tradição dos blocos de reggae, que marcam a história da folia carnavalesca.

O Afoxé Filhos de Gandhy, fundado em 1949, sendo a agremiação mais antiga contemplada pelo edital, traz para o carnaval 2020 o tema Omolú – Obaluayê, Deuses da Terra, da Doença e da Cura. O tapete branco da paz se estende na avenida, mas antes disto, no domingo, é tradição o Padê de Exú, que no Largo do Pelourinho abre os caminhos para o desfile do bloco. Entre outros afoxés contemplados este ano, os Filhos do Congo homenageiam ao Herói Negro Juliano Moreira, Pai da Psiquiatria, levando uma importante reflexão e referências históricas para o desfile.

Dentre outras agremiações contempladas pelo Carnaval Ouro Negro em 2020 estão Cortejo Afro, Muzenza, Laroyê Arriba, Quero Ver o Momo, Blocão da Liberdade, Tambores e Cores, Bloco da Saudade, Gera Dois, Mutantes e o bloco infantil Ibeji.


Fonte: Ascom/Secult

O Afoxé Filhos de Gandhy, fundado em 1949, sendo a agremiação mais antiga contemplada pelo edital, traz para o carnaval 2020 o tema Omolú – Obaluayê, Deuses da Terra, da Doença e da Cura. O tapete branco da paz se estende na avenida, mas antes disto, no domingo, é tradição o Padê de Exú, que no Largo do Pelourinho abre os caminhos para o desfile do bloco. Entre outros afoxés contemplados este ano, os Filhos do Congo homenageiam ao Herói Negro Juliano Moreira, Pai da Psiquiatria, levando uma importante reflexão e referências históricas para o desfile.

Dentre outras agremiações contempladas pelo Carnaval Ouro Negro em 2020 estão Cortejo Afro, Muzenza, Laroyê Arriba, Quero Ver o Momo, Blocão da Liberdade, Tambores e Cores, Bloco da Saudade, Gera Dois, Mutantes e o bloco infantil Ibeji.


Fonte: Ascom/Secult
Leia Mais >>

Shopping Barra tem funcionamento especial no Carnaval

Único grande shopping center presente no circuito da folia de Salvador, o Barra tem horários especiais de funcionamento nos dias de festa. Clientes poderão ainda aproveitar as opções da Praça de Alimentação. Confira!

hat-2016797_1920.jpg


Quarta-feira (19/02)

Lojas – 9h às 20h

Praça de Alimentação e Belo Rústico – 9h às 20h

Restaurantes do Barra Gourmet, Madero e Mamma Jamma – a partir das 12h

Cinema – Conforme programação nos sites shoppingbarra.com e uciorientecinemas.com.br



Quinta-feira (20/02)

Lojas – 9h às 18h

Praça de Alimentação e Belo Rústico – 9h às 19h

Restaurantes do Barra Gourmet, Madero e Mamma Jamma – 12h às 19h

Cinema – Conforme programação nos sites shoppingbarra.com e uciorientecinemas.com.br





Sexta-feira (21/02)

Lojas – 9h às 15h

Praça de Alimentação e Belo Rústico – 9h às 19h

Restaurantes do Barra Gourmet, Madero e Mamma Jamma – 12h às 19h

Cinema – Conforme programação nos sites shoppingbarra.com e uciorientecinemas.com.br



Sábado (22/02)

Lojas – 9h às 15h

Praça de Alimentação e Belo Rústico – 9h às 19h

Restaurantes do Barra Gourmet, Madero e Mamma Jamma – 12h às 19h

Cinema – Conforme programação nos sites shoppingbarra.com e uciorientecinemas.com.br



Domingo, segunda e terça (23, 24 e 25/02)

Lojas – Apenas estarão funcionando as lojas Arranjo Express, Camarote Skol e Farmácias Pague Menos, das 12h às 19h



Praça de Alimentação e Belo Rústico – 12h às 19h



Restaurantes do Barra Gourmet, Madero – 12h às 19h

Cinema – Conforme programação nos sites shoppingbarra.com e uciorientecinemas.com.br



Quarta-feira (26/02)

Lojas – 12h às 22h

Praça de Alimentação e Belo Rústico – 12h às 22h

Restaurantes do Barra Gourmet, Madero e Mamma Jamma – 12h às 23h

Cinema – Conforme programação nos sites shoppingbarra.com e uciorientecinemas.com.br


Leia Mais >>

“Principal desafio da próxima gestão de Salvador será combater a desigualdade”

A deputada federal Lídice da Mata (PSB-BA) disse, na manhã desta segunda-feira (17), à Rádio Metrópole, que o maior desafio de Salvador é o combate às desigualdades sociais. Em entrevista ao comunicador José Eduardo, a parlamentar afirmou que tanto a administração municipal quanto a estadual fizeram importantes intervenções na cidade, “mas a próxima administração precisa focar na melhoria da vida das pessoas”.

“Nossa cidade é profundamente desigual que tem  sua população de maioria negra que continua vítima do racismo estrutural”, afirmou.

Lídice citou a situação dramática dos vendedores ambulantes da cidade. “Veja o carnaval, veja quem está escrevendo o nome no chão para marcar o seu local de trabalho durante a festa. ”Os vendedores ambulantes são em geral negros e principalmente mulheres negras. Esta é a dimensão da sustentação familiar num momento em que a economia cada dia mais dificulta as relações de trabalho tradicionais, e que, mais do que nunca a informalidade toma conta das relações de trabalho em Salvador”, concluiu Lídice que foi a única mulher prefeita em mais de 470 anos de fundação da capital baiana.

Dados do IBGE mostram que o Nordeste possui quase 3 milhões de pessoas em situação de trabalho informal, isso até o quarto trimestre de 2019. “E infelizmente Salvador contribui bastante para está triste estatística”, finalizou.
Leia Mais >>

Léo Santana comanda mais um Pipoco nesta terça-feira (18)

A levada do gigante Léo Santana promete esquentar o circuito Orlando Tapajós (Ondina-Barra) com o Pipoco, que terá mais uma edição nesta terça-feira (18), a partir das 19h. A festa pré-carnavalesca é promovida pela Prefeitura, através da Empresa Salvador Turismo (Saltur), e o gigante garante trazer um repertório atualizado e muitas surpresas para o público.

“Estou ansioso e fiquei muito feliz por termos, mais uma vez, a oportunidade de cantar na terça-feira, esquentando a galera para iniciar o Carnaval com tudo. Tenho certeza de que vamos fazer o grande show que Salvador merece”, afirma o artista.

Com a promessa de surpreender os foliões durante o Carnaval, o cantor garante que "Contatinho" e "Eu não vivo sem ela" são hits que não faltarão no repertório. Além delas, compõem a lista novas canções do DVD "Levada do Gigante", que traz sucessos como “Quebradeira”, “Rabetão GG” e “Cabecinha cinturinha”.

“Somente pelos nossos ensaios eu posso dizer que ficar parado durante a passagem do GG não é uma opção. Vai ser um grande show, se Deus quiser”, pontua o cantor. E, para garantir que a festa ocorra com tranquilidade, conforto e segurança, a Prefeitura montou um esquema especial de serviços essenciais para a data.

Prevenção à violência – A Guarda Civil Municipal (GCM) atuará no pré-carnaval com 88 agentes distribuídos em operações distintas ao longo do dia. Os profissionais vão dar apoio à Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), à Saltur e à Transalvador, além de fazer a segurança patrimonial do posto de saúde instalado no circuito e realizar patrulhamento preventivo.

Trânsito – A Transalvador também terá um esquema especial de trânsito para a folia. As alterações começam na terça-feira (18), a partir das 16h, quando ficam proibidos a circulação e o estacionamento de veículos nas seguintes vias: Avenida Sete de Setembro (trecho compreendido entre a Rua Afonso Celso e o Largo do Farol da Barra), Avenida Oceânica (trecho compreendido entre o Largo do Farol da Barra até a Prefeitura da Aeronáutica de Salvador). A proibição segue até as 2h da quarta-feira (19).

Os condutores que circulariam pelo trecho interditado terão como opção de tráfego, no sentido Barra/Ondina, a Rua Afonso Celso, Rua Miguel Burnier, Avenida Centenário, Rua Professor Sabino Silva. Já quem transita no sentindo contrário terá como opções a seguir pela Avenida Oceânica, Rua Professor Sabino Silva, Avenida Centenário, Rua Augusto Frederico Schimidt, Rua Marquês de Caravelas.

Mobilidade – Em função da realização da festa pré-carnavalesca, a Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob) preparou um esquema especial de transporte para os foliões que vão ao evento. A operação vai contar com 21 linhas, que têm como destino a Barra. Elas  terão o atendimento prolongado até 2h de quarta-feira (19). Já as oito linhas que têm como destino a Estação da Lapa terão o atendimento prolongado até 1h30 de quarta-feira.

Além disso, a Semob irá disponibilizar 27 coletivos da frota reguladora na Estação da Lapa, que ficarão à disposição da fiscalização no terminal, das 21h às 4h do dia seguinte. Treze linhas de ônibus do Sistema Complementar (Stec) vão prolongar o itinerário até a Barra, das 14h até 0h.

Outra opção para o público que participará do “Pipoco” é solicitar o serviço de táxi, através do aplicativo Táxi Mobi, que vai operar com Bandeira 1 e até 20% de desconto. Além disso, os usuários contarão com uma ampla oferta do serviço de táxi e mototáxis, nos pontos existentes na região, que estarão em pleno funcionamento. Eles estão localizados no Shopping Barra, no Bompreço (Chame-Chame) e Porto da Barra.

Além disso, a Semob criou também um ponto extra, especial para o evento, que ficará na Av. Centenário, no último retorno para quem segue no sentido Vale dos Barris. O

Ordenamento – A Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop) atuará com um efetivo de 12 profissionais no ordenamento do espaço público, na organização e distribuição dos ambulantes, fiscalização do comércio de produtos proibidos e na observância da comercialização da marca patrocinadora do carnaval (Ambev/Bohemia). Além disso, será observada a atuação de pessoas não-licenciadas e produtos acondicionados de forma irregular em vidro ou servidos em espetos.  

Salvamar – Para o Pipoco, a Salvamar irá disponibilizar 15 salva-vidas e cinco postos móveis montados no circuito Barra/Ondina. Em casos de situação de emergência, os profissionais contam com equipamentos como quadrículos, jet ski, rescob, botes motorizados, pranchões e coletes no entorno da festa. 

Leia Mais >>

ARTIGO - O novo coronavírus e a ansiedade por doença - por Psicóloga Marina Prado Franco

Psicóloga Marina Prado Franco*



Com o surgimento de epidemias como a do novo coronavírus, proveniente da China, e alguns casos suspeitos do vírus no Brasil, os brasileiros ficam em alerta constante. Essa situação de alerta, porém, muitas vezes, pode vir acompanhada de um medo desproporcional de ficar doente, ou até mesmo, de um medo da morte. 

O medo é um sentimento natural do ser humano, o qual é extremamente importante, pois nos protege em várias situações de perigo iminente. Contudo, existe o que chamamos de medo “normal” e o que seria considerado um medo patológico. O medo normal considera as probabilidades estatísticas, não traz grandes prejuízos à vida dos indivíduos e serve como proteção a perigos reais. 

O medo patológico é um medo que passa a determinar nossas ações, ou seja, para tomarmos qualquer atitude, o medo é “consultado”. O que ocorre, então, é que, na maior parte das vezes, passamos a evitar diversas situações ou a buscar aconselhamento a todo momento. 

Especificamente, em relação ao medo ou ansiedade por doença, o indivíduo está sempre preocupado de ter ou adquirir alguma doença. A partir disto, a pessoa fica com a sua atenção mental concentrada em reconhecer os possíveis sintomas de determinada doença, torna-se hipervigilante, fica mais ansiosa e, então, apresenta sensações autossugestionáveis em razão da ansiedade, na realidade.



Nesses casos de ansiedade por doença, o indicado é que esses indivíduos enfrentem os seus medos, seja buscando conhecimento sobre a doença e suas probabilidades reais, seja levando em conta dos exames realizados que não deram nenhum diagnóstico, seja cuidando da sua saúde ao fazer exercícios físicos e ter uma alimentação saudável. 

Desta forma, o foco torna-se a saúde e não a doença. No caso do coronavírus novo, os indivíduos devem estar ligados nas estatísticas atuais que não trazem nenhum caso confirmado no Brasil e, assim, devem tomar as precauções que estão no seu controle como lavar as mãos, evitar contato próximo com pessoas resfriadas, entre outras. Preocupações funcionais, com foco na saúde e não na doença. 

(*) Marina é psicóloga formada pela Universidade Federal de Sergipe; Especialista em Terapia Cognitivo Comportamental pelo CTC VEDA em São Paulo; Mestre em Psicologia Clínica pela PUC-SP; realiza atendimento presencial e online. Tem experiência no atendimento com adolescentes e adultos.






Leia Mais >>

Agricultores familiares de Conceição do Coité recebem investimentos para criação de caprinos e ovinos

Os investimentos do Governo do Estado estão melhorando a vida dos agricultores familiares e incentivando a geração de renda no meio rural baiano. No território de Identidade do Sisal, a Associação Comunitária do Distrito de São João, localizada no município de Conceição do Coité, foi contemplada com um investimento de R$325 mil para aumentar a criação de caprinos e ovinos. 

A ação é realizada no âmbito Bahia Produtiva, projeto do Governo do Estado, executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento (SDR), com financiamento do Banco Mundial e está beneficiando 40 famílias com o plantio de  720 mil raquetes de palmas, 40 apriscos,  10 reprodutores e máquin! as forrageiras. 

Segundo o beneficiário do Bahia Produtiva, Josué Menezes de Oliveira, antes da execução do projeto os moradores da comunidade passavam por dificuldades: “Antes da chegada do Bahia Produtiva era bem difícil, agora está mais fácil, principalmente para os animais, com a chegada dessas palmas. Todos os beneficiários plantaram 18 mil raquetes de palmas e nós só temos a agradecer por esse projeto na comunidade”.

De acordo com o presidente da associação, Elivaldo da Silva, todos esses investimentos estão trazendo resultados positivos e qualidade de vida para a comunidade: “A vinda desses benefícios para a nossa comunidade ! é de suma importância, pois estamos avançando em busca de melhorias de vida para nossos produtores. Vamos receber também um kit de vacinação para os animais e iremos implantar uma pequena fábrica de ração para consumo animal. Teremos ainda uma roçadeira costal para fazer esse trabalho”. 

Capacitação

O Bahia Produtiva vem atuando na comunidade também com capacitações, quando os agricultores familiares que trabalham com o sistema produtivo da caprinovinocultura desenvolvem técnicas melhores para ! o manejo desses animais: “Para Ivone Santos, beneficiária do projeto, as ações do Bahia Produtiva levam conhecimentos para toda comunidade: “Agora estamos capacitados para trabalhar com os animais de maneira mais responsável e para também cuidar melhor dos plantios das palmas”. 

Leia Mais >>

Escolas estaduais realizam nesta terça-feira avaliação diagnóstica

Escolas estaduais realizam nesta terça-feira avaliação diagnóstica de Língua Portuguesa, Matemática e Ciências



As escolas da rede estadual de ensino de todo o Estado realizam, nesta terça-feira (18), a Avaliação Diagnóstica do Sistema de Avaliação Baiano de Educação (SABE). A iniciativa visa fortalecer o processo avaliativo nas unidades escolares, identificando indicadores pedagógicos que subsidiem a atuação da Secretaria da Educação do Estado e das escolas nos processos de aprendizagem dos estudantes. O público-alvo a ser avaliado no ano letivo de 2020 é formado por estudantes do 4º e 8º ano do Ensino Fundamental e do 1ª e 2ª série do Ensino Médio.

A novidade deste ano é que, além de dez questões de Língua Portuguesa e dez de Matemática, a avaliação também contará com dez questões de Ciências, totalizando 30 questões. As avaliações do SABE se baseiam na matriz do Sistema de Avaliação da Educação Básica (SAEB).

“A Avaliação Diagnóstica faz o mapeamento da aprendizagem dos estudantes. Esse diagnóstico é muito importante para pautar as atuações pedagógicas, fazendo com que ela seja mais assertiva. Esta avaliação será lançada no sistema sabe online no mês de março, quando ele será disponibilizado”, explicou a assessora técnica da Secretaria da Educação do Estado, Aline Oliveira.

O SABE foi implantado pela Secretaria da Educação do Estado (SEC), em 2019. Durante o ano, a SEC mobilizou as escolas e a comunidade escolar nas avaliações de Língua Portuguesa e Matemática. Além de subsidiar a atuação da SEC e das escolas nos processos de aprendizagens dos estudantes, o sistema promove uma maior familiarização dos estudantes com diferentes processos avaliativos.





 Foto: Ilustrativa 

Leia Mais >>

Bloco Fique de Olho agita ruas e comércio de Cajazeiras

“Não vá de carro, não vá de trem, pegue o telefone e disque 100!”. Foi nesse ritmo que o Bloco Fique de Olho deu o seu recado pelas ruas de Cajazeiras, informando e dialogando com a população sobre a importância de denunciar o trabalho infantil e a exploração sexual. O desfile saiu do Largo da Praça da Fazenda Grande II em direção à Rótula da Feirinha.

O bairro foi o 5º a receber o bloco, que leva materiais informativos da campanha “O trabalho infantil e a exploração sexual não aparecem como esta campanha”, cujo objetivo é sensibilizar e conscientizar pais, mães, escolas, trabalhadores e trabalhadoras sobre essas violações de direitos. A ação é da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social da Bahia (SJDHDS).

“É dever de todos nós ficarmos atentos a qualquer tipo de violação contra nossas crianças. Criança não deve e não pode trabalhar! O lugar dela é na escola, na arte e na música. Vamos todos abraçar a causa e zelar pela nossa infância e juventude”, comentou o secretário da SJDHDS, Carlos Martins, que mais uma vez acompanhou todo o desfile.

Feirantes, comerciantes, lideranças e moradores abraçaram a campanha e se juntaram ao bloco para pedir proteção à infância e juventude. Foi o caso do Adriano Rodrigues, pai do pequeno Luciano, de 5 anos, que já tinha visto a ação em outros bairros através dos noticiários na televisão.

“Quando vimos a ação em Itapuã, meu filho ficou todo animado com os palhaços e o robô, disse que queria vê-los e tirar uma foto. É uma ação que chama mesmo a atenção, especialmente de nós, pais  e mães que ficamos preocupados com as violências nas ruas e queremos proteger nossos filhos”, afirmou  Rodrigues.

Locais como pontos de ônibus, postes, comércios, veículos e tantos outros pontos estratégicos foram sinalizados com adesivos e cartazes da campanha. O desfile foi acompanhado por servidores da SJDHDS, Conselho Tutelar, lideranças comunitárias e os meninos e meninas do Projeto Axé, responsáveis pelo som e animação do Bloco.

Nesta quarta-feira (18) é a vez da Liberdade, penúltimo bairro a receber o Bloco Fique de Olho este ano.


Foto: Michele Brito - Ascom SJDHDS
Leia Mais >>

Filho do compositor baiano Davi Salles é assassinado em Colinas de Pituaçu

Rafael Gomes Salles era estudante de direito e tinha 23 anos. Ele foi assassinado após fugir de um assalto. O crime aconteceu na Rua Carlos Marighela, na região de Colinas de Pituaçu, por volta das 14h deste domingo (16).

O jovem era filho do compositor baiano Davi Salles, autor de famosas músicas gravadas por artistas do Axé Music, como Ivete Sangalo e Saulo Fernandes. Nas redes sociais, ele compartilhava sua rotina de treinos e seu amor pela musculação.

Segundo informações da Polícia Militar, o universitário estava fazendo uma caminhada na rua quando foi abordado por homens em uma moto, que anunciaram o assalto, mas assustado, Rafael tentou correr e levou um tiro nas costas. Ele chegou a ser socorrido por policiais, que o levaram para a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de São Marcos, mas ele não resistiu e morreu na unidade de saúde.

Nas redes sociais, amigos e parentes lamentaram a morte precoce de Rafael. "Meu irmão, que dor, velho. Cara muito sangue bom, da paz e do bem", disse um amigo. "Não acredito nisso", comentou outro.

O sepultamento do estudante ocorrerá às 10h da manhã desta terça-feira (18), no Cemitério do Campo Santo.

 Em uma postagem nas redes sociais, o compositor Davi Salles, lamentou a morte do filho. “Acabaram com a minha vida. Mataram meu filho lindo ontem, por que Deus? Eu não estou aguentando isso”, escreveu ele que, segundo amigos, precisou ser medicado após saber do assassinato do filho.

O caso está sob investigação do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP). Até o momento, os criminosos não foram identificados e ninguém foi preso.


Colaboração: Van Amorim

Leia Mais >>
 

Solenidades

Os Parças 2

Acontece Aqui

Festas Populares

Teatro

Teatro

Teatro
Especial mês das crianças

Gastronomia

Show

Show
Djavan
SALVADOR NOTÍCIAS - Notícias, Reportagens, Cultura e Entretenimento.
Todos os direitos reservados desde 2003-2019 / Salvador - Bahia / . Contato: redacao@salvadornoticias.com
- Topo ↑