Seja bem-vindo. Hoje é

domingo, 19 de março de 2017

Sadia e Friboi vendiam carne estragada

Operação Carne Fraca começa com contornos de nova Lava Jato

Nova operação aconteceu no aniversário de três anos da Lava Jato e já apresenta similaridades com as investigações da Petrobras.
Não é coincidência que a operação Carne Fraca, da Polícia Federal, tenha sido deflagrada no aniversário de três anos da operação Lava Jato. O delegado Maurício Moscardi Grillo, que conduziu as investigações, confirmou que a data foi escolhida com o objetivo de chamar a atenção da sociedade “para o descaso que temos na área de corrupção sistêmica e endêmica no nosso país”.

Além do fato de a investigação ter sido feita pela Polícia Federal do Paraná, há outros paralelos entre os dois esquemas de corrupção.

Grandes empresas

Assim como na Lava Jato, a nova operação começa a descortinar um esquema de corrupção envolvendo a participação ativa de grandes empresas de setores importantes da economia nacional. A propina paga por empreiteiras para obter contratos de obras foi substituída, neste caso, por valores pagos para que fiscais do Ministério da Agricultura fizessem vista grossa para irregularidades na produção de carne.

Na BRF, conforme aponta a investigação da Polícia Federal, parece haver um departamento dedicado exclusivamente às relações corruptas com os fiscais do Ministério da Agricultura; operação similar à que foi identificada no Departamento de Operações Estruturadas da Odebrecht.

Publicidade

“No caso da BRF, existe uma coordenação, na verdade uma gerência, que não fica muito claro para a gente o que ela faz senão esses contatos escusos, porque é uma gerência que cuida de assuntos institucionais e governamentais. [...] Toda a relação desse servidor dentro do cargo dele é exatamente falar do cargo mais baixo de um fiscal até o cargo mais alto de um Ministério; então você vê que ele tem um acesso pleno a toda forma de poder”, relata o delegado.

Roney Nogueira dos Santos, que era o gerente de Relações Institucionais e Governamentais da BRF, teve mandado de prisão preventiva cumprido pela PF na manhã desta sexta-feira (17).

Dinheiro para partidos

Outro ponto em comum entre as duas investigações é que nos dois casos o dinheiro da corrupção foi usado para financiar campanhas políticas. Ainda que o foco inicial da Carne Fraca não tenha sido identificar irregularidades eleitorais, a investigação esbarrou nesses casos.

“Uma parte do esquema criminoso dos agentes fiscais ajudava em campanhas políticas ligadas ao PMDB e ao PP. Isso é bem comum ao longo da investigação. Não foi aprofundado porque o nosso foco era saúde pública, corrupção e lavagem de dinheiro”, afirmou o delegado responsável pela investigação.

Desdobramentos

O primeiro dia da operação Carne Fraca também aponta que as investigações têm condições de desvelar novos atos de corrupção com base no que já foi descoberto até agora. Questionado sobre o motivo de o esquema estar circunscrito ao Paraná, mesmo envolvendo empresas com atuação nacional e internacional, a delegado Maurício Grillo afirmou que faltou “pernas” à Polícia Federal.

“Se fôssemos ampliar a investigação para as 27 superintendências do Ministério da Agricultura, talvez ampliássemos o rol de empresas investigadas, mas a verdade é que não temos perna e por uma questão de competência jurídica, não podemos abraçar todas essas causas”, afirmou o delegado.

Fonte Gazeta do Povo

0 comentários :

 

Paparazzo

Paparazzo
É DO SALVADOR NOTÍCIAS!

Carnaval

Carnaval
Blog do Carnaval

Eventos

Eventos
Revista (Let's Go)

São João

São João
Arraiá do Salvador Notícias é aqui!
SALVADOR NOTÍCIAS
Todos os direitos reservados desde 2000-2023 / Salvador - Bahia / . Contato: redacao@salvadornoticias.com Instagram: @salvador_noticias_oficial
- Topo ↑