Seja bem-vindo. Hoje é

quinta-feira, 17 de novembro de 2022

[COMO EU ME F*DI NO MEU TRABALHO]


 [COMO EU ME F*DI NO MEU TRABALHO] O impacto negativo de chefes tóxicos e suas consequências na carreira de uma jovem


Publicitária transformou seus dissabores profissionais em um livro em formato de desabafo


Aposto que você também já teve um chefe terrível. Daqueles que tiram o sono, transmitem ameaça no olhar, reviram o estômago e dão até calafrios. Essa descrição fez com que a publicitária Marília de Castro transformasse suas frustrações profissionais, em especial a relação tóxica que vivenciou com alguns ex-chefes, em um livro. “Meu Chefe é Um Pesadelo” (Editora Telha) serve de alerta para quem sofreu (ou ainda sofre) esse tipo de assédio e também para você, que ocupa posição hierárquica de importância no mercado, para uma autoanálise de sua postura no ambiente corporativo.


De forma descontraída, a autora tenta mostrar através de suas desventuras profissionais casos reais pelos quais passou e como reagiu a tais ataques. Ela que sempre teve o sonho de viver da arte, abdicou dessa vontade para tentar uma carreira que a remunerasse melhor. Infelizmente “a conta não fechou” pois, além de ter de lidar com a toxicidade das chefias, ela não reuniu forças para lutar pela mudança desse cenário.


 



“Este livro não é um guia de como lidar com chefes, sobreviver ao ambiente de trabalho ou qualquer espécie de autoajuda. É o desabafo de uma brasileira exausta e de saco cheio de ter que conviver com egos inflados, soberba e a famosa “síndrome do pequeno poder.” – Marília de Castro, em trecho do livro


 


 “Meu Chefe é Um Pesadelo” traz uma leitura curta, mas inspiradora, para servir de parâmetro sobre o ambiente de trabalho no qual o leitor está inserido. Seja você proletário, chefe de departamento ou empresário, entender as armadilhas que podemos cair no ambiente corporativo pode nos ajudar a driblar diversas saias justas.


Para a autora, claramente, “um chefe desequilibrado é, acima de tudo, uma pessoa desesperada. Quando perde a linha, no fundo, sabe o quanto é incapaz e tem medo de estar fazendo tudo errado”. A “cultura do medo” que foi criada dentro das empresas é um inevitável reflexo do sistema em que vivemos, ou seja, do lucro a todo e qualquer custo; das desigualdades não apenas sociais, mas também hierárquicas.


 


“(Pedir demissão) foi, com certeza, um dos dias em que me senti mais livre na vida. Meu namorado sabia de todo meu sofrimento nesse lugar e, inclusive, sugeriu muito antes que eu pedisse demissão. Mas eu tentei aguentar um pouco mais. Foi o que deu para fazer. É engraçado pensar que passei por isso. Me faz, sim, valorizar o momento profissional que me encontro hoje. Claro que, trabalho sempre será trabalho, sempre tem a parte chata. Mas perto dessa experiência, NADA poderia ser pior.” – Marília de Castro, do livro


 


Sobre a autora:


Marília de Castro nasceu em 1989, na Vila Mariana, em São Paulo. Tornou-se redatora publicitária em 2015 e passou por pequenas, médias e grandes agências de publicidade, criando textos em formatos impressos e digitais para grandes marcas e clientes, como: Chevrolet, Samsung, Yoki, Levi’s, Fiat, Bradesco, Mastercard, Itaú, Colgate, Track&Field, Rio Quente Resorts, Meio&Mensagem e muitos outros.


Serviço:


Livro: Meu Chefe É Um Pesadelo


Autor: Marília Carneiro Monteiro de Castro


Editora: Telha


Páginas: 80


Preço: R$ 45,00


Adquira em: https://editoratelha.com.br/product/meu-chefe-e-um-pesadelo-minhas-historias-sobre-lideres-nada-exemplares/


 

0 comentários :

 

Paparazzo

Paparazzo
É DO SALVADOR NOTÍCIAS!

Carnaval

Carnaval
Blog do Carnaval

Eventos

Eventos
Revista (Let's Go)

São João

São João
Arraiá do Salvador Notícias é aqui!
SALVADOR NOTÍCIAS
Todos os direitos reservados desde 2000-2024 / Salvador-Bahia / . Contato: redacao@salvadornoticias.com Instagram: @salvador_noticias_oficial
- Topo ↑