Seja bem-vindo. Hoje é

domingo, 30 de junho de 2024

Endometriose na adolescência: como diagnosticar e tratar?



 Endometriose na adolescência: como diagnosticar e tratar?


Ginecologista especialista em endometriose e cirurgia minimamente invasiva, Alexandre Amaral explica que a falta de informação se destaca como um dos principais fatores que prejudicam o diagnóstico precoce dessa condição


Sentir cólicas intensas e incapacitantes não é normal, principalmente quando não há melhora dos sintomas após uso de anti-inflamatórios. Segundo o médico ginecologista, especialista em endometriose e cirurgia minimamente invasiva, Alexandre Amaral, a falta de informação, somado ao fato de uma crença equivocada em que cólica menstrual é algo comum, faz com que muitas adolescentes sofram por anos prejuízos escolares, sociais, físicos e psíquicos decorrentes da endometriose não diagnosticada. 

 

“Acredita-se que 6% a 10% das mulheres em idade reprodutiva, 50% a 60% de adolescentes e adultas com dores pélvicas e até 50% de mulheres com infertilidade sejam afetadas pela doença, segundo uma publicação da Revista Febrasgo em 2023. Apesar da alta incidência, ainda é uma doença subdiagnosticada e a falta de informações se destaca como um dos principais fatores que prejudicam o diagnóstico precoce dessa condição”, explica o ginecologista.

 

De acordo com Alexandre, a endometriose é uma doença caracterizada pela presença do endométrio (camada interna que reveste o útero) em locais fora da cavidade uterina. “O principal sintoma da endometriose são as cólicas intensas. Outros indícios incluem dor para urinar (disúria), dor nas relações sexuais (dispareunia), dor ao evacuar (disquezia), dor pélvica crônica, além de sensação de fadiga e dor nas pernas”.

 

Acompanhamento ginecológico

 

Como a enfermidade não tem um diagnóstico fácil, é necessário que a adolescente realize consultas ginecológicas regulares para relatar os possíveis sintomas da endometriose, além de fazer exames como ultrassonografia com preparo intestinal (caso já tenha tido relação sexual) e/ou a ressonância magnética da pelve sempre que necessário. “Quando a doença é detectada precocemente, há mais possibilidades terapêuticas e, assim, é possível recuperar a qualidade de vida dessas jovens”, diz o médico.

 

Tratamento

 

De acordo com Alexandre, atualmente, principalmente com mudança no estilo de vida e acompanhamento multidisciplinar, é possível proporcionar uma grande melhora na qualidade de vida dessa paciente, com o alívio dos sintomas. “São estratégias que precisam incluir um nutricionista para propor uma mudança na alimentação com uma dieta anti-inflamatória, prática de exercícios físicos aliada, eventualmente, ao tratamento hormonal, para as adolescentes que desejam utilizar hormônios, além de acompanhamento sempre com ginecologista especialista em endometriose. A cirurgia é a última opção de tratamento, a não ser em casos específicos, por isso, cada caso precisa ser avaliado individualmente”, orienta o ginecologista.

0 comentários :

 

Paparazzo

Paparazzo
É DO SALVADOR NOTÍCIAS!

Carnaval

Carnaval
Blog do Carnaval

Eventos

Eventos
Revista (Let's Go)

São João

São João
Arraiá do Salvador Notícias é aqui!
SALVADOR NOTÍCIAS
Todos os direitos reservados desde 2000-2024 / Salvador - Bahia / . Contato: redacao@salvadornoticias.com
- Topo ↑