Seja bem-vindo. Hoje é

terça-feira, 3 de julho de 2018

O mercado das artes em Salvador é tema de bate-papo neste sábado (07)

Atividade gratuita acontece às 15h, no Acervo da Laje (São João do Cabrito) e reúne os artistas Alex Ìgbò, Eder Muniz, Raimundo Bida, Harlei Eduardo e Luiz Pablo Moura  



Como artistas vivem de sua arte e como percebem as questões relacionadas à valorização das artes, seu comércio e visibilidade em uma cidade que historicamente tende a valorizar narrativas hegemônicas no campo artístico? Estes são dos questionamentos que a terceira edição do Bate-Papo na Laje irá provocar no próximo sábado (07), das 15h às 18h, com o tema “Pague minha arte: o mercado das artes em Salvador”. O Bate-Papo acontece na Casa 02 do Acervo da Laje (Plataforma, Subúrbio Ferroviário) e a entrada é gratuita.

O Bate Papo na Laje é uma das ações do projeto Ocupa Lajes, que foi contemplado pelo Edital Setorial de Artes Visuais 2016 do Fundo de Cultura, Secretaria de Cultura, Secretaria da Fazenda, com apoio da Fundação Cultural do Estado da Bahia. O objetivo da iniciativa realizada pelo Acervo da Laje é promover diálogos com artistas sobre negritude, visibilidade, diversidade, arte e periferia.

Para o bate-papo foram convidados: o artista visual formado em Artes pela UFBA e autor da expressão “Jexus”, Àlex Ìgbó; o cantor e compositor Harlei Eduardo; o artista plástico nazareno, Raimundo Bida; o artista visual e estudante da Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB), Luiz Pablo Moura; e o grafiteiro e artista autodidata, Eder Muniz, conhecido como “Calangos”. A mediação desse encontro fica a cargo da produtora cultural e diretora de arte da Pedra do Mar Produções Artísticas, Mariana de Paula.

Segundo José Eduardo Ferreira Santos, curador do Acervo da Laje, o tema surgiu diante das questões que envolvem a monetização do trabalho artístico aliado à valorização artística. “’Pague minha arte’ é um grito, uma provocação, para que entendamos que arte é trabalho, ser artista é profissão e que viver de arte é um desafio constante e esse grito precisa ser reverberado”, enfatiza.

Ocupa Lajes - É um projeto de formação, democratização e circulação das artes visuais em Salvador que está na segunda edição. A iniciativa é do Acervo da Laje, espaço de memória artística, cultural e de pesquisa sobre o Subúrbio Ferroviário de Salvador (SFS), região que reúne aproximadamente 10% da população da capital baiana, segundo o IBGE. Sua galeria é composta por biblioteca, coleção de discos, fotografias, manuscritos, tijolos, azulejos e porcelanas antigas, artefatos históricos, quadros e esculturas, entre outras peças. Criado em 2010 pelo casal de educadores José Eduardo e Vilma Santos, o Acervo da Laje fica localizado em São João do Cabrito e está aberto para visitação pública. Interessados devem fazer agendamento através dos telefones (71) 3401-7804, 99382-8185 e 98637-8051, do Facebook do Acervo da Laje ou do site www.acervodalaje.com.br.



Mini-bio dos convidados

Àlex Ìgbó – Artista visual, educador, designer e estudante do Curso de Licenciatura em Desenho e Plástica pela UFBA, atua com intervenção artística na rua, utilizando várias técnicas, sobretudo a gravura  como caminho de materializar as novas narrativas sobre a filosofia africana.

Harlei Eduardo – Atua como músico desde 1987, quando ingressou no Coral da Escola Técnica Federal (atual IFBA), sob a regência do Maestro Helder Rocha. Como violonista, integrou o coletivo “Bando de Uns”, ao lado dos cantores Carlos Barros, Déia Ribeiro e Vérciah. Tem composições gravadas por Carlos Barros e Márcia Short. Atualmente, apresenta a cada quinze dias, o show "Seresteiro - Uma viagem pelo universo da canção sentimental", aos sábados, no Botequim Seu Roque, Vila Laura.

Luiz Pablo Moura – Artista visual e estudante da Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB), atua como cenógrafo, mobilizador social, produtor cultural e facilitador de artes plásticas em escolas públicas. Entre seus trabalhos utiliza técnicas mistas de gravuras, stencil, e desde 2009 expõe nas ruas e espaços culturais da cidade.

Eder Muniz – Artista autodidata, trabalha com grafites, nos quais mistura técnicas das artes plásticas e a técnica própria do grafite. Seus trabalhos têm como característica a ligação homem – natureza e estão espalhados por várias partes da cidade de Salvador. De 2007 até 2010 Muniz morou em Nova York, onde realizou exposições e criou grandes murais em organizações e residências particulares.

Raimundo Bida – Atraído pelas artes plásticas, abandonou o curso de desenho arquitetônico para assumir-se como pintor. Integrou o movimento artístico do centro histórico de Salvador (Pelourinho). Em 1988, faz a sua primeira exposição coletiva: I°Expo Natura na Galeria Abrigo da Arte em Salvador, Bahia e se destaca em 1991, quando ganha o prêmio aquisição na Primeira Bienal do Recôncavo no Centro Cultural Danneman em São Félix, Bahia.  No exterior, participou do Prix Suisse et Prix Europe de Peinture Moderne na Galeria Pro Arte Kasper em Morges (Suíça) e expôs individualmente com o trabalho “Brasilidade”, na Galeria Praça do Mar em Loulé (Portugal) e no L´espace Culturel du ParlementEuropéen em Bruxelles (Bélgica). Participou da exposição coletiva “Cores da Bahia” no Teatro IRDEB, em Salvador. Atua também como cantor, compositor e músico.



Serviço

O que: Bate-Papo na Laje: "Pague minha arte: o mercado das artes em Salvador"

Quando: 07 de julho (sábado), das 15h às 18h

Onde: Casa 2 do Acervo da Laje -  Rua Oliveira, 2 A, Final de linha do São João do Cabrito, Plataforma.

Quanto: Gratuito


0 comentários :

 
SALVADOR NOTÍCIAS - Notícias, Reportagens, Cultura e Entretenimento.
Todos os direitos reservados desde 2003 / Salvador - Bahia / . Contato: redacao@salvadornoticias.com
- Topo ↑