Seja bem-vindo. Hoje é

sexta-feira, 28 de setembro de 2018

Médica da Guine Bissau levará experiência do Cedeba para seu País


“Um centro especializado, onde o profissionalismo está fortemente associado à humanização do atendimento”. É assim que a médica  generalista da Guiné Bissau, país muito pobre do continente africano, Maimuna Baldé, resume o trabalho do Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia (Cedeba), onde passou quase um mês conhecendo os diversos serviços, por conta do Programa de Cooperação técnica que tem o apoio da World Diabetes Foundation (WDF).

“Um centro especializado, onde o profissionalismo está fortemente associado à humanização do atendimento”. É assim que a médica  generalista da Guiné Bissau, país muito pobre do continente africano, Maimuna Baldé, resume o trabalho do Centro de Diabetes e Endocrinologia da Bahia (Cedeba), onde passou quase um mês conhecendo os diversos serviços, por conta do Programa de Cooperação técnica que tem o apoio da World Diabetes Foundation (WDF).

De volta amanhã a seu País, a médica formada em Cuba e com especialização em cirurgia maxilofacial, em Portugal, pretende adaptar experiências do Cedeba, principalmente ações focadas no auto-cuidado para os diabéticos, como o trabalho do Centro com o grupo educativo “Doce Conviver”, que a deixou encantada por permitir aos diabéticos  aprender sobre a doença, mas discutindo e participando ativamente.

AVANÇOS
Depois de conhecer os diversos serviços, Maimuna Baldé, 56 anos, destaca que  “o Cedeba, realmente, é um centro de referência.”. Na sua opinião foi uma experiência muito enriquecedora”, porque na Guiné Bissau o diabetes cresce, como em todo o mundo, mas faltam profissionais especializados  - nutricionistas, endocrinologistas. E essa realidade - analisou – torna ainda  mais importante ações de prevenção do diabetes focadas na educação, ainda mais que o País convive com elevadas taxas de analfabetismo.

Na Guiné-Bissau, o diabético não conta com proteção legal, que lhe assegure medicação e insumos como no Brasil, e essa realidade dificulta o  tratamento, ponderou. Por falta de prevenção, é muito elevado o índice de diabéticos diagnosticados já com as complicações da doença, como o pé diabético, que leva a um número muito grande de amputações.

O Hospital Nacional Simão Mendes, onde a médica é diretora do Serviço de Cirurgia Maxilo Facial e de Otorrinolaringologia, conta serviços de emergência, ambulatório e internamento. E lá os diabéticos são atendidos. Na sua avaliação, “é muito importante ampliar as ações educativas nos corredores e salas de espera, para multiplicar as informações”




De volta amanhã a seu País, a médica formada em Cuba e com especialização em cirurgia maxilofacial, em Portugal, pretende adaptar experiências do Cedeba, principalmente ações focadas no auto-cuidado para os diabéticos, como o trabalho do Centro com o grupo educativo “Doce Conviver”, que a deixou encantada por permitir aos diabéticos  aprender sobre a doença, mas discutindo e participando ativamente.

AVANÇOS

Na Guiné-Bissau, o diabético não conta com proteção legal, que lhe assegure medicação e insumos como no Brasil, e essa realidade dificulta o  tratamento, ponderou. Por falta de prevenção, é muito elevado o índice de diabéticos diagnosticados já com as complicações da doença, como o pé diabético, que leva a um número muito grande de amputações.

O Hospital Nacional Simão Mendes, onde a médica é diretora do Serviço de Cirurgia Maxilo Facial e de Otorrinolaringologia, conta serviços de emergência, ambulatório e internamento. E lá os diabéticos são atendidos. Na sua avaliação, “é muito importante ampliar as ações educativas nos corredores e salas de espera, para multiplicar as informações”

Maimuna Baldé pretende sensibilizar seus superiores para enviar uma equipe formada por médico, enfermeira e assistente social para uma visita ao Cedeba, “muito importante para o nosso trabalho”. Além de muito conhecimento, disse levar na bagagem uma impressão muito positiva da acolhida que recebeu de toda a equipe durante a permanência no Centro de Referência.

0 comentários :

 
SALVADOR NOTÍCIAS - Notícias, Reportagens, Cultura e Entretenimento.
Todos os direitos reservados desde 2003 / Salvador - Bahia / . Contato: redacao@salvadornoticias.com
- Topo ↑