Seja bem-vindo. Hoje é

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Novembro Negro é marcado por ações de enfrentamento e combate ao racismo

Novembro Negro é marcado por ações de enfrentamento e combate ao racismo nas escolas da rede estadual
Mais do que um momento lúdico de apresentações artístico-culturais voltadas ao Dia da Consciência Negra, celebrada a cada 20/11, o Novembro Negro nas escolas da rede estadual tem sido um espaço de aprofundamento das discussões sobre temas que continuam na pauta do século XXI, como racismo, violência contra a mulher igualdade social e inserção do negro no mundo do trabalho. Um dos eventos protagonizados pela comunidade escolar é o 1º Fórum Estudantil do Colégio Estadual São Francisco, que tem abertura na noite desta segunda (12) e se encerra com mesas de comunicações na quarta-feira (14), no auditório do Campus de Alagoinhas do IF Baiano (122 km de Salvador). Já no Colégio Estadual Nova Esperança, localizado na Estrada Cia – Aeroporto, no bairro Ceasa, os alunos participaram, nesta segunda-feira (12), de oficinas de capoeira e dança, além de palestras.
Com o tema “Consciência negra e resistência é resistir sempre”, o 1º Fórum Estudantil do Colégio Estadual São Francisco é a culminância do trabalho interdisciplinar de enfrentamento ao racismo, realizado ao longo do ano letivo, como explicou a professora de História, Márcia Souza. “É uma oportunidade de nossos estudantes apresentarem suas produções culturais e se voltarem ao fortalecimento das discussões relacionadas à consciência negra, em um momento tão emblemático que vivemos atualmente”.
A comunidade escolar do Colégio Estadual São Francisco esteve, nesta segunda-feira, mobilizada em torno dos últimos preparativos para o fórum. A professora de Língua Portuguesa, Rosana Oliveira, ressaltou que os estudantes estão em fase final dos estudos sobre os temas e alinhando os seus discursos. “Nosso objetivo é multiplicar ações que façam com que o negro consiga romper barreiras para que possam ser reconhecidos, de fato, pela sociedade, neste momento de reflexão que vive hoje o país”, disse a educadora.
O aluno Mateus Souza Santos, 16, 2º ano, falou sobre a importância do evento: “Estou bem animado porque se trata de uma iniciativa muito importante para a troca de conhecimento e conscientização sobre temas fundamentais em dias atuais como intolerância religiosa. Como serei mediador da mesa sobre este assunto, estou pesquisando bastante para participar da melhor forma. É importante que a gente discuta todas essas questões porque as pessoas estão se revelando muito preconceituosas e isto não é sadio para a sociedade viver em paz”.
Também envolvidos com ações voltadas ao Novembro Negro, os estudantes do Colégio Estadual Nova Esperança participaram de palestras sobre os temasHistória da cultura afro-baiana”, “Sua compreensão enquanto negro na sociedade soteropolitana”, “Igualdade racial e racismo” e “Violência contra mulher”. A aluna Lara Fábia Estevo, 14, 8ª ano, fala sobre as ações que estão sendo desenvolvidas na escola. “Achei muito interessante as palestras porque abordaram a questão da resistência e nos trouxeram mais consciência sobre a importância de lutarmos para ser reconhecidos nesta sociedade. Não podemos ficar passivos diante do fato de que a mulher negra está no último lugar da pirâmide social e a elas e a mim, que sou afrodescendente, recai a violência em maior grau. Temos que abrir os olhos”.
A vice-diretora e professora de Geografia Luzia Andrade também falou da importância de celebrar o Novembro Negro na escola. “É importante o debate em todas as unidades escolares, especialmente as que estão localizadas na periferia, onde a discriminação racial e a violência são mais evidentes. Este trabalho que desenvolvemos, ao longo do ano letivo, tem um significado na vida dos nossos alunos, que ganham mais consciência sobre as suas raízes, ganham conhecimentos e começam a se enxergar como pessoas que fazem parte da sociedade e, portanto, precisam estar inseridas socialmente”.

Confira a programação do Novembro Negro 2018 nas escolas da rede estadual em Salvador:
Colégio Estadual Nova Esperança
12/11
8h30  - História da cultura afro-baiana
13h30 - Sua compreensão enquanto negro na sociedade soteropolitana
13/11
8h30  - Igualdade Racial e Racismo
13h30 - Violência contra mulher
Colégio Estadual Oliveira Britto
22/11 - 8h30, 13h30 e 19h30 - Autoestima e identidade afrodescendente
Colégio Estadual Francisco Pereira Franco
12 e 13/11 - 9h - A história e cultura africana
Escola Estadual Lindembergue Cardoso
20/11 - 9h - Mídia e racismo
Colégio Estadual Bolívar Santana
20 a 23/11 - Manhã e tarde - Projeto Gincana Cultura Bahia – Berço Africanidade Brasileira
Centro Estadual Pestalozzi da Bahia
12 a 16/11 - Exibição de filmes, seleção de música do repertório africano e produção de turbantes
20/11    - Contação de Histórias e Lendas Africanas
Colégio Estadual Henriqueta Martins Catharino
6/11 - 8h30 - Júri Simulado no IRDEB
Colégio Estadual Professor Edgard Santos
13 e 14/11 - História e Cultura Afro-brasileira em uma perspectiva local
Colégio Estadual Mario Costa Neto
6/11 - 8h30 - Júri Simulado no IRDEB
Centro de Estadual de Educação Profissional em Turismo Baiano
6/12 - Júri simulado

0 comentários :

 
SALVADOR NOTÍCIAS - Notícias, Reportagens, Cultura e Entretenimento.
Todos os direitos reservados desde 2003 / Salvador - Bahia / . Contato: redacao@salvadornoticias.com
- Topo ↑