Seja bem-vindo. Hoje é

quarta-feira, 9 de dezembro de 2020

Pedra nos rins são mais frequentes no calor



Especialista do Hospital 9 de Julho alerta para aumento de até 80% dos casos no período do verão e explica como prevenir


O aumento do calor é um fator de risco significativo para um problema comum, o cálculo renal. As populares pedras nos rins acontecem com mais frequência nos períodos de temperaturas mais altas e, nessa época, é preciso prestar mais atenção. Segundo estudos, no verão o número de casos de cálculo renal pode aumentar em até 80%.


Dr. Fabio Vicentini, urologista chefe do Centro de Cálculo Renal do Hospital 9 de Julho, explica que o aumento da transpiração e as mudanças na alimentação comuns no verão são os principais responsáveis pelo crescimento dos casos de cálculo renal. No calor, o corpo elimina mais água pelo suor e uma desidratação, mesmo que leve, prejudica o trabalho dos rins. 


“Os rins não responsáveis por realizar a filtragem de substâncias que o corpo não utiliza, entre eles os sais minerais. Esses elementos podem se agrupar e formar cristais que, acumulados, se transformam nos cálculos”, explica o especialista.


Para evitar essa formação, é fundamental aumentar a ingestão de líquidos no calor. "Um bom indicador de que a pessoa está bebendo a quantidade certa de líquidos é a coloração da urina. Quando ela está bem clara, é sinal de que o corpo está hidratado.” Além de água, o urologista recomenda o consumo frequente de  sucos de frutas cítricas, que contribuem para prevenir a formação dos cristais.


Além das bebidas, é importante observar também a alimentação. “Para a melhor saúde dos rins, deve-se manter uma dieta com muitas verduras, legumes e frutas, e diminuir a quantidade de frituras e de proteína, que aumenta o índice de ácido úrico e a acidez da urina colaborando para a formação das pedras . Além disso, é fundamental reduzir o consumo de sódio.”, explica Dr. Fabio Vicentini.


No verão, também aumenta a oferta de frutos do mar, mas é preciso moderação. "Eles possuem níveis elevados de ácido úrico, que é um dos elementos responsáveis pela formação de cálculos renais.”


Sobre o Hospital 9 de Julho


Fundado em 1955, em São Paulo, o Hospital 9 de Julho é referência em medicina de alta complexidade com destaque para as áreas de Neurologia, Oncologia, Onco-hematologia, Gastroenterologia, Urologia, Trauma e Ortopedia. 


Com cerca de 2,5 mil colaboradores e 5 mil médicos cadastrados, o hospital possui 470 leitos, sendo 102 leitos nas Unidades de Terapia Intensiva, Centro Cirúrgico com capacidade para até 22 cirurgias simultâneas, inclusive com duas salas híbridas (com equipamento de Hemodinâmica e Ressonância Magnética) e três para robótica, incluindo a Sala Inteligente, que permite a realização de cirurgias em sequência. 


Além disso, oferece atendimento ambulatorial no Centro de Medicina Especializada com mais de 50 especialidades e 12 Centros de Referência: Centro de Dor e Neurocirurgia Funcional; Rim e Diabetes; Cálculo Renal; Cardiologia; Oncologia; Gastroenterologia; Controle de Peso, Infusão, Medicina do Exercício e do Esporte; Clínica da Mulher; Longevidade, Doenças Inflamatórias Intestinais (CDII) e Trauma. 


O Hospital 9 de Julho pertence à Rede Ímpar que possui 7 hospitais nos estados de São Paulo (Hospital Santa Paula e H9J), Rio de Janeiro (Hospital São Lucas Copacabana e Complexo Hospitalar de Niterói – CHN) e Distrito Federal (Hospital Brasília, Maternidade Brasília e Hospital Águas Claras) e que se uniu à DASA, líder em medicina diagnóstica no Brasil e GSC Integradora de Saúde. 


A instituição possui certificação internacional de qualidade, conferida pela maior acreditadora de qualidade do mundo, a Joint Commission International – JCI, desde 2012. Sua unidade de Transplante de Medula Óssea, atualmente, é a única no mundo com a linha de cuidado certificada pela JCI. 

0 comentários :

 
SALVADOR NOTÍCIAS - Notícias, Reportagens, Cultura e Entretenimento.
Todos os direitos reservados desde 2003-2019 / Salvador - Bahia / . Contato: redacao@salvadornoticias.com
- Topo ↑