Seja bem-vindo. Hoje é

sábado, 19 de dezembro de 2020

Varejo tem queda de 5,5% em novembro, aponta o IGet


O consumo brasileiro no quarto trimestre de 2020 deverá ficar acomodado após queda das vendas do varejo, mostra o IGet (Índice Getnet de Vendas do Comércio Varejista Brasileiro) de novembro. No mês, o Varejo Restrito apresentou declínio de 5,5% em relação a outubro, descontados fatores sazonais. No comparativo anual, pela primeira vez, o índice caiu 0,9%. O IGet é medido pelas transações das máquinas da Getnet em 150 mil estabelecimentos comerciais do País.


“O resultado do mês aponta para um novo indício de arrefecimento do consumo, que se beneficiou nos últimos meses dos estímulos fiscais temporários e impactou o mercado de bens. No histórico do IGet, vimos setores superarem os níveis de vendas do período pré-crise. Agora, vemos um ritmo menor e mais concentrado em serviços”, aponta Pedro Coutinho, CEO da Getnet.


Segundo a análise do Departamento Econômico do Santander, a partir de maio, quando muitas regiões iniciaram o processo gradual de flexibilização do isolamento social e a liberação de recursos de auxílio à renda da população, houve impacto na normalização das atividades econômicas e, consequentemente, no comércio varejista. “Em agosto, os números ainda apontavam forte aceleração do consumo. No entanto, a partir de setembro, os dados passaram a apontar uma desaceleração, e outubro reforçou essa trajetória”, pondera Lucas Maynard, economista do Santander.


Os setores que mais puxaram o índice para baixo foram Móveis e Eletrodomésticos (-15,4%), Materiais para Escritório (-9%) e Vestuário (-8,1%). “No caso de Móveis e Eletrodomésticos, o resultado se deve ao efeito da redução do auxílio emergencial e um certo esgotamento no consumo das famílias, que passaram mais tempo em casa na pandemia”, completa Maynard.


No conceito Varejo Ampliado, a categoria “Partes e Peças Automotivas” teve o seu primeiro declínio (-2,5%) após registrar seis altas consecutivas, contribuindo para a queda sequencial do indicador. O setor Materiais de Construção caiu 7,1%.


Maioria dos estados apresenta queda


Ao contrário do demonstrado no IGet de outubro, novembro apresentou queda do consumo em 16 estados, com destaque para Pará (-16,9%), Amapá (-16,2%), Tocantins (-15%) e Minas Gerais (-11,1%).


Paraná e Santa Catarina mantiveram os níveis em relação ao mês anterior e nove apresentaram crescimento, como Alagoas (11,5%), Sergipe (9%) e Espírito Santo (6,6%).




Metodologia


O indicador utiliza informações de transações no mercado de adquirência nacional e tem o intuito de ampliar o conjunto informacional para análise da trajetória da atividade econômica no Brasil. O método é o same store sales (vendas de uma mesma loja) a cada dois meses. A amostra é composta por estabelecimentos de diferentes tamanhos, segmentos e regiões.


Em novembro, o índice também apresentou as séries de variação interanual de cada categoria comparando com o PMC-IBGE. Os gráficos mostram similaridade nos números, indicando credibilidade do IGet no mercado.

0 comentários :

 
SALVADOR NOTÍCIAS - Notícias, Reportagens, Cultura e Entretenimento.
Todos os direitos reservados desde 2003-2019 / Salvador - Bahia / . Contato: redacao@salvadornoticias.com
- Topo ↑