Seja bem-vindo. Hoje é

sexta-feira, 23 de abril de 2021

23 de Abril - Dia da Língua Inglesa - Como o ensino de idiomas se adaptou na pandemia


 Neste dia 23 de abril é celebrado o Dia da Língua Inglesa, a data coincide com o aniversário de William Shakespeare e, também, dia de São Jorge, o padroeiro da Inglaterra. A comemoração traz a reflexão da importância do idioma mais falado no mundo. No entanto, no Brasil ainda são poucos os que sabem se comunicar em inglês, cerca de 5% da população, e fluentes apenas 1%, segundo dados da British Council. 


Com a pandemia e os desafios enfrentados nas aulas remotas, o ensino complementar de idiomas também precisou se adaptar para manter o engajamento dos alunos e seu desenvolvimento na aprendizagem de uma nova língua. A Red Balloon, maior rede de inglês voltada a crianças e adolescentes, obteve impactos significativos na rotina dos mais de 20 mil estudantes no país focando além das aulas de inglês, mas, também, no apoio emocional. 


Com metodologia adaptada, olhar individualizado e voltado para a saúde mental, Red Balloon garante continuidade da aprendizagem e engajamento de alunos e famílias


Como a maior rede de inglês voltada a crianças e adolescentes conseguiu adaptar uma metodologia essencialmente presencial a um modelo remoto, sem perder a eficácia e a afetividade




As mudanças impostas às instituições de ensino com a suspensão das aulas presenciais após o início da pandemia da Covid-19 e seu agravamento nos últimos meses ainda desafiam o dia a dia escolar. Em diversas localidades pelo país, incluindo a cidade de São Paulo, as escolas migraram novamente para a modalidade remota por conta das medidas de restrição, impactando a rotina diária familiar que combina home-office com aulas online. Para as crianças menores o desafio é ainda maior, uma vez que não conseguem ficar sentadas por longos períodos sem interação e movimento. Segundo uma pesquisa divulgada pela consultoria McKinsey em 2020, a permanência das aulas na modalidade remota é fundamental, já que a evasão pode gerar um prejuízo no aprendizado de aproximadamente um ano quando comparada às aulas na modalidade remota realizadas durante 9 meses.


Nesse contexto, a rede de escolas de idiomas Red Balloon tem se destacado por superar os desafios do processo de aprendizagem, ensinando inglês com o mesmo compromisso de qualidade do ensino presencial e conquistando o engajamento e a motivação de alunos de todas as idades, que dessa forma tem se beneficiado da continuidade do desenvolvimento cognitivo e social.


Com mais de 50 anos de história, a Red Balloon é conhecida no país por sua metodologia voltada a crianças e adolescentes na faixa dos 3 aos 16 anos de idade, com prioridade de aspectos como interação e afetividade - pontos que se tornaram especialmente desafiadores diante do novo cenário imposto pelo novo coronavírus.


No início de abril de 2020, a rede - que atualmente conta com cerca de 120 unidades pelo país e mais de 20 mil alunos - iniciou um trabalho de formação continuada envolvendo especialistas em acolhimento no ambiente escolar, disciplina positiva, cuidados sanitários em pandemia, experiencias de aprendizagem no ambiente virtual e exames internacionais de conhecimento de língua inglesa (Cambridge), e toda a equipe pedagógica em mais de 80 horas de capacitação ao vivo.


A partir daí, as escolas da Red Balloon, suportadas pelas maiores pesquisas sobre modalidade híbrida, passaram a oferecer experiências de aprendizagem síncronas (ao vivo) e assíncronas (gravadas) acompanhadas de roteiros de estudo dirigido com instruções para pais de alunos com menos de 8 anos. “Nossos objetivos foram garantir a continuidade da aprendizagem e o estímulo que sempre vimos em nossos alunos, criando um banco de atividades e de boas práticas que contribuíssem para que os professores ampliassem seu repertório”, explica Ruymara Almeida, Diretora Pedagógica da Red Balloon.


“Desde o início, a modalidade híbrida não implicaria em replicar as atividades presenciais em um ambiente virtual. Foi preciso adaptar a metodologia e estimular a autonomia dos estudantes, buscando um formato que mantivesse tanto a eficiência pedagógica quanto o vínculo afetivo entre professor e aluno, independentemente de estarem em casa ou na escola”, diz. Segunda ela, o olhar individualizado e o cuidado genuíno com a saúde mental dos alunos pelos professores, por exemplo, já faziam parte da metodologia e, neste momento, preservar esses aspectos mesmo no modelo remoto foi fundamental para manter o engajamento e aliviar a inquietude dos pais, permitindo a fluidez do processo de aprendizagem.


Ruymara conta que uma das maiores preocupações para a Red Balloon foi sustentar o estímulo das crianças, especialmente as mais jovens. “Além das aulas dinâmicas, procuramos incluir atividades, como jogos e conteúdos específicos, que promovessem maior interação entre os colegas”, explica. Com os alunos menores de 8 anos, por exemplo, a rede recriou brincadeiras, como a caça ao tesouro de objetos dentro de casa. Já para os alunos maiores, foram utilizadas salas temáticas para que pudessem interagir em inglês em grupos, sendo acompanhados pelos professores.


Ela destaca ainda a importância do envolvimento com as famílias durante o processo de adaptação. “Os pais foram parceiros e, apesar de um estranhamento inicial, logo perceberam que seus filhos estavam respondendo positivamente, participando sem resistência, com mais autonomia e se desenvolvendo em relação à aprendizagem”, afirma.


Outro aspecto amplamente trabalhado tanto com as crianças como com os adolescentes foi o bem-estar emocional e o acolhimento social. A Red Balloon ampliou e reforçou as atividades e discussões relacionadas ao tema, considerando o momento de isolamento social e os desdobramentos enfrentado pelos alunos e suas famílias após a pandemia. “Conversamos muito com os alunos, procuramos saber como estavam se sentindo e reforçamos o conceito de que desafios são oportunidades de aprendizado”, conta Ruymara. Dentre as ações trabalhadas, foram incluídas técnicas de mindfulness e de respiração, para auxiliar os alunos de 3 a 16 anos a lidarem com o estresse do momento


Pesquisa com as famílias - Após alguns meses de implantação do novo modelo, em dezembro de 2020, a Red Balloon aplicou uma pesquisa envolvendo cerca de 3,5 mil famílias com filhos matriculados em suas escolas para medir a percepção e tangibilizar a eficácia do trabalho desenvolvido. O resultado não só foi positivo como superou os índices medidos antes da pandemia, quando a rede operava somente no formato presencial. No questionário aplicado após a experiência das famílias com o “modelo online”, obteve-se um índice de recomendação da Red Balloon a outras famílias de 82,7 (conhecido como NPS, em uma escala de -100 a 100). Um ano antes, em 2019, a mesma pergunta registrou um índice de 80,8. 


Para a diretora pedagógica, o resultado é um indicativo de que o formato desenvolvido pela rede vem cumprindo o principal objetivo: manter a qualidade do ensino, independente do modelo proposto. “É claro que nossos alunos e professores apreciam o convívio social e a variedade de possibilidades que o ambiente da escola oferece. Entretanto, como o afeto, o brincar e a habilidade de solucionar problemas fazem parte do cotidiano da Red Balloon, a barreira da tela não nos impediu de seguirmos promovendo experiências de aprendizagem de inglês com afetividade”, conclui.


Fonte Ruymara Almeida - Diretora Pedagógica da Red Balloon


0 comentários :

 
SALVADOR NOTÍCIAS - Notícias, Reportagens, Cultura e Entretenimento.
Todos os direitos reservados desde 2003-2019 / Salvador - Bahia / . Contato: redacao@salvadornoticias.com
- Topo ↑