Seja bem-vindo. Hoje é

segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

Com Maria Bethânia, "Fevereiros" divulga nova data 07/02

"Fevereiros", documentário dirigido por Marcio Debellian, estreia dia 7 de fevereiro nos cinemas. O longa, que acompanhou Maria Bethânia do Rio de Janeiro, com o vitorioso desfile da Mangueira em sua homenagem, até Santo Amaro, sua cidade natal, já rodou 29 festivais de cinema pelo mundo, passando por países como Canadá, França, Rússia, Suíça, Espanha, Itália, Chile, Uruguai, Congo e Senegal. O longa recebeu o prêmio de Melhor Filme no 10º IN-Edit Brasil e a Menção Honrosa do Júri na competitiva Ibero-americana do 36º Festival Internacional do Uruguai. Com produção da Debê Produções, em coprodução com Globo Filmes, GloboNews e Canal Brasil, o filme tem distribuição da ArtHouse.

O longa acompanhou a construção do carnaval da Mangueira em 2016 – desde os desenhos das primeiras alegorias aos desfiles na avenida. "O que me interessou desde o início, independente do resultado que o carnaval viria a ter, foi o recorte que a Mangueira escolheu para o enredo. Entre as inúmeras possibilidades de se homenagear Maria Bethânia, a escola escolheu tratar da sua devoção religiosa, do seu sincretismo pessoal que junta o candomblé, devoção católica e sabedorias herdadas dos índios", lembra o diretor Marcio Debellian.

O filme viajou com Maria Bethânia para o Recôncavo baiano, participando de seu ambiente familiar, religioso e das festas da sua cidade natal, Santo Amaro da Purificação, conhecendo o universo que inspirou o enredo. Neste trânsito entre o Rio de Janeiro e a Bahia, "Fevereiros" depara-se com questões históricas como o surgimento do samba, tolerância religiosa e racismo.

"O Recôncavo baiano, região onde Bethânia nasceu, tem a particularidade de ter sido o lugar no Brasil que mais recebeu negros escravizados trazidos da África. A Bahia soube misturar as tradições africanas, indígenas e portuguesas e transformá-las em expressões originais brasileiras em relação à música, religião e festas populares. Esses aspectos vão sendo apresentados no filme conforme nos aproximamos de Santo Amaro e acompanhamos a construção do carnaval da Mangueira", explica Debellian.

O filme conta com depoimentos de Maria Bethânia, Caetano Veloso, Chico Buarque, do carnavalesco da Mangueira Leandro Vieira, do historiador Luiz Antonio Simas, da poeta Mabel Velloso, irmã de Bethânia, e do porta-bandeira da Mangueira Squel Jorgea.

SINOPSE:
A partir do vitorioso carnaval da Mangueira em homenagem a Maria Bethânia, o filme percorre uma viagem entre Rio e Bahia, acompanhando a cantora no universo familiar, festivo e religioso que inspirou o enredo.

FICHA TÉCNICA:
Direção: Marcio Debellian
Montagem: Diana Vasconcellos, ABC
Produção: Daniel Nogueira e Marcio Debellian
Direção de Fotografia: Miguel Vassy e Pedro von Krüger
Roteiro: Diana Vasconcellos e Marcio Debellian
Colaboração de Direção e Roteiro: Clara Cavour e Daniel Nogueira
Pesquisa de imagens: Antonio Venancio
Com as participações de: Maria Bethânia, Caetano Veloso, Mabel Velloso, Leandro Vieira, Pai Pote, Squel Jorgea, Luiz Antonio Simas, Chico Buarque, Pai Gilson, Julia Basbaum, Nina Basbaum
Patrocínio: Icatu Seguros, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Secretaria Municipal de Cultura, Globo Filmes e GloboNews
Coprodução: Globo Filmes, GloboNews e Canal Brasil
Realização: Debê Produções
Distribuição: ArtHouse

ENTREVISTADOS:
Maria Bethânia, Caetano Veloso, Chico Buarque, Leandro Vieira, Luiz Antonio Simas, Mabel Velloso e Squel Jorgea

DIRETOR | MARCIO DEBELLIAN
Marcio Debellian é diretor do documentário Fevereiros, que  parte do vitorioso carnaval da Mangueira em homenagem a Maria Bethânia, e percorre uma viagem entre Rio e Bahia, acompanhando a cantora no universo familiar, festivo e religioso que inspirou o enredo. É diretor do documentário (o vento lá fora) (2014) que cria um retrato de Fernando Pessoa a partir da leitura de poemas por Cleonice Berardinelli e Maria Bethânia, e autor do argumento, roteiro e coprodutor do filme Palavra (En)cantada, sobre a relação entre poesia e música. É diretor do projeto Palavras Cruzadas, que promove espetáculos criados a partir de encontros entre músicos, poetas e artistas visuais – www.palavrascruzadas.art.br. Foi curador artístico das exposições Reverta – Arte e Sustentabilidade, em cartaz entre maio e julho de 2015 na Oca em São Paulo, com a participação de 20 artistas plásticos com criações inéditas relacionadas a consumo consciente e descarte de resíduos; e da Mostra Permanências, em ficou em cartaz entre 2013 e 2014 no Imperator, Rio de Janeiro, retratando grandes nomes da música brasileira, como Marina Lima, Beth Carvalho, Martinho da Vila e Elizeth Cardoso. Para o lançamento da mostra sobre Elizeth Cardoso, criou e dirigiu o espetáculo A Divina, com Teresa Cristina e Áurea Martins. Dirigiu o show Maneira de Ser, da cantora Marina Lima, que estreou em 2013 e teve temporadas no Rio e em São Paulo. Organizou os seguintes livros: Maneira de Ser, de Marina Lima, organizado em parceria com a artista (Mauad, 2013); Revista Souza Cruz, uma antologia 1916-1935 (ILHA, 2013); Nova edição de “Maria Bethânia Guerreira Guerrilha” (2011), de Reynaldo Jardim, lançado originalmente m 1968, 15 dias antes do AI-5, mas confiscado pelo regime militarÉ graduado em Economia pela PUC-RJ e possui formação em teatro pela CAL. Fundou a Debê em 2004. Reúne seus trabalhos em www.marciodebellian.com

0 comentários :

 
SALVADOR NOTÍCIAS - Notícias, Reportagens, Cultura e Entretenimento.
Todos os direitos reservados desde 2003-2019 / Salvador - Bahia / . Contato: redacao@salvadornoticias.com
- Topo ↑