Seja bem-vindo. Hoje é

quarta-feira, 11 de março de 2020

Emoção marca o Dia do Bibliotecário em Salvador

Apaixonada pela profissão, a bibliotecária Adijane Ribeiro, de 44 anos, é formada em biblioteconomia pela Universidade Federal da Bahia há 19 anos, e se prepara para assumir a coordenação da Biblioteca Denise Tavares, na Liberdade. Ela celebra com reflexão e alegria o dia dedicado aos bibliotecários, comemorado nesta quinta (12).

A rotina de Adijane começa com a catalogação e a classificação de livros, além de gerenciar a biblioteca. Os livros são organizados por ordem numérica e classificados por generalidades, referência, literatura e de acordo com temas. O trabalho é realizado para facilitar o acesso, as classificações são subdivididas por assuntos e lançadas no sistema para que sejam facilmente encontrados pelos usuários.

Emocionada, ela conta que se encantou pelo universo dos livros durante o ensino médio, quando foi estagiária de uma biblioteca, e decidiu seguir o caminho dos livros. “Eu sou amante da profissão, faço porque gosto e, principalmente, porque tenho prazer. Trabalhei durante treze anos em uma escola, e era prazeroso ver as crianças procurando a biblioteca para fazer uma leitura, até mesmo quem tinha dificuldade para ler se interessava em ir aprender. Então, isso me deixa feliz”, pontua.

Adijane Ribeiro lembra que a tecnologia veio para ajudar os bibliotecários, oferecendo suporte para a acessibilidade dos livros. Antes, todo o trabalho era realizado através de fichas catalográficas, acumulava diversos arquivos e era preciso procurar um a um para localizar o livro que o usuário queria. “A tecnologia melhorou muito a vida do bibliotecário, tanto na parte de registro, quanto na busca, catalogação e classificação. É algo que veio para ajudar, mesmo que as pessoas leiam no celular ou na internet, a biblioteca não vai deixar de existir por conta da tecnologia, ela é uma aliada”.

Nesse novo desafio, a bibliotecária pretende mediar um diálogo com os leitores, através de ações voltadas para leitura como rodas de conversa, bate-papo com autores, clube de leitura, oficinas, encontros e rodas de leitura. “Esse é o momento mais marcante de minha carreira. É a primeira vez que estou assumindo uma biblioteca pública, dentro de uma comunidade grande como a Liberdade e tenho certeza que muitos leitores virão em busca de informação. Será um desafio manter a Biblioteca sempre atrativa para todos”.

Ações - Desde 2017, a Prefeitura vem atuando fortemente no fomento à leitura e incentivo aos livros com várias ações. Ao todo, o município conta com quatro bibliotecas físicas e projetos de leitura desenvolvidos em toda a cidade. Além de 29 bibliotecas comunitárias.

“São dez projetos encampados pelo município, através dessa gerência que eu ocupo com a valorização de escritores, incentivo a leitura, difusão de livros e títulos. Através de ações desenvolvidas entre os meses de março e dezembro de 2019, movimentamos 175 mil leitores. Isso prova que Salvador tem público leitor e que gosta de ler”, afirma a gerente de Biblioteca, Livro e Leitura da Fundação Gregório de Matos (FGM), Jane Palma.

Curiosidade – O Dia do Bibliotecário passou a ser comemorado todo dia 12 de março, em homenagem a data do nascimento de Manuel Bastos Tigre, bibliotecário, jornalista, poeta, compositor, humorista e publicitário brasileiro. Após formar-se engenheiro, Bastos especializou-se em Eletricidade nos Estados Unidos, país onde conheceu Melvil Dewey, bibliotecário que instituiu o Sistema de Classificação Decimal.

0 comentários :

 
SALVADOR NOTÍCIAS - Notícias, Reportagens, Cultura e Entretenimento.
Todos os direitos reservados desde 2003-2019 / Salvador - Bahia / . Contato: redacao@salvadornoticias.com
- Topo ↑