Seja bem-vindo. Hoje é

sábado, 13 de junho de 2020

Casais empreendedores falam sobre parceria nos negócios e no amor

Especialista do Sebrae traz dicas sobre como se unir nos negócios para superar momento de adversidade em meio à pandemia

A necessidade de uma maior representatividade negra na área da saúde foi o que motivou o casal Arthur Lima e Igor Leonardo a empreender na startup AfroSaúde em 2019. A empresa de tecnologia desenvolve soluções em saúde, conectando profissionais e pacientes negros. Com isso, busca também contribuir para a redução da desigualdade no mercado de trabalho na área da saúde.

Em menos de um ano, o AfroSaúde já conta com mais de 1 mil profissionais cadastrados de 30 especialidades em 130 cidades. A startup conquistou a 3ª colocação no Sebrae Like a Boss, em 2019, numa disputa que envolveu 18 empreendimentos. Igor conta que a parceria do casal também nos negócios contribui para que os dois se conheçam melhor.

“Quando pensamos em empreender, tínhamos em mente que teria que ser um negócio que fizesse sentido, principalmente relacionado ao impacto social que pudesse causar. É importante também para que a gente se conheça melhor como casal, tratando de assuntos que extrapolam o relacionamento pessoal”.

Igor, que é jornalista, acrescenta ainda que, por outro lado, o relacionamento com Arthur, que é dentista, também contribui na gestão do negócio. “Nos conhecemos bastante para saber as expertises de cada um quando estamos diante dos desafios do empreendedorismo, que são muitos, principalmente por se tratar de saúde e tecnologia voltada para a população negra”, conclui.

Persistência

DivulgaçãoBárbara Batista e José Roberto Fiuza são responsáveis pela BetoBitaBárbara Batista e José Roberto Fiuza são responsáveis pela BetoBitaFoi pela necessidade de obter uma renda extra que o casal Bárbara Santos Batista e José Roberto Fiuza iniciaram, em 2016, a BetoBita, fabricante de cosméticos veganos, livre de petrolatos e óleo mineral, voltados para cabelos crespos e cacheados. Na época, Bárbara, que é formada em química, trabalhava apenas um turno e José Roberto estava desempregado.

O conhecimento de Bárbara permitia que ela produzisse seus próprios cosméticos para o cabelo. Essa experiência aliada à necessidade fez com que o casal levasse adiante a ideia de ter um negócio próprio, que começou com o investimento de R$ 400. “Era o valor da mensalidade da escola de nossa filha. Então, tínhamos que ter um retorno”, conta Bárbara.

A empresária revela que, no início, não foi fácil. “Comecei tentando vender por grupos de WhatsApp e Facebook, mas acredito que por não ter ainda uma embalagem mais profissional, os produtos não estavam chamando tanta atenção”. O casal persistiu na estratégia até que uma pessoa de um dos grupos publicou o resultado alcançado com o produto. Desde então, os negócios alavancaram e a BetoBita conta hoje com 13 distribuidoras e 600 revendedoras. O casal recebeu consultorias do Sebraetec para registro de marca e também obteve orientações para o aprimoramento das embalagens.

Bárbara acredita que o principal desafio de empreender com o marido é manter as questões do negócio separadas das pessoais. “Não podemos permitir que o trabalho interfira na nossa rotina como casal e também com a nossa filha. É preciso sempre manter esse equilíbrio”, reforça.

Pilar 

DivulgaçãoLuciana Cardoso e Carlos Falcão, da Ótica Passaredo: empreendedorismo é um dos pilares da relaçãoLuciana Cardoso e Carlos Falcão, da Ótica Passaredo: empreendedorismo é um dos pilares da relaçãoO casal Luciana Cardoso e Carlos Falcão estão juntos há sete anos e, desde o início, o empreendedorismo foi um dos pilares da relação. A decisão por ter um negócio próprio surgiu da necessidade de pagar o aluguel e da vontade de crescer na vida. Para ir em busca desse objetivo, eles abriram uma empresa de entrega de “quentinha”, mas, segundo Carlos, o negócio não deu certo, por não ser uma área de interesse dos dois. Depois, decidiram montar uma empresa de reforço escolar, que funcionou, pagava as contas, mas ainda não era o que desejavam. Por fim, há cinco anos, o casal investiu na Ótica Passaredo, alinhando saúde e moda. 

“O olho brilhou na conversa. Fizemos a escolha certa, não só de nicho, mas de querer empreender juntos, de enfrentar os prognósticos de que não daria certo. Mas, para além disso, a maior realização das nossas vidas veio junto com a empresa, o nosso filho”, relembra Carlos. 

O empresário também assume que “nem tudo são flores”, mas que o segredo do casal é ele ser mais do equilíbrio e ela o ponto fora da curva, o diferencial. “O que nos mantem firmes é a resiliência. Já aconteceram coisas nessa empreitada e não seria qualquer um que se manteria em pé no dia seguinte”. 

O Sebrae também teve a sua contribuição nessa jornada. “Eu diria que o Sebrae foi o conselheiro amoroso desse casal empreendedor”, brinca Carlos, ao lembrar de quando decidiram criar a Passaredo. O casal foi em busca de capacitação e teve auxilio da instituição para aprender aspectos importantes ligados ao empreendedorismo.

5 dicas para superar adversidades

Empreender é um desafio por si só que exige assumir riscos calculados, mas a pandemia do novo coronavírus redobrou o desafio, principalmente junto aos donos de pequenos negócios, que precisaram reduzir o ritmo ou até mesmo paralisar suas atividades.

Para casais empreendedores, a gerente de Atendimento Individual do Sebrae Bahia, Fernanda Gretz, destaca que é importante construir em conjunto objetivos e metas em meio a esse contexto.

Ela lembra também que identificar habilidades e experiências individuais é fundamental. “Dessa forma, podem ser definidas quais áreas e tarefas da empresa cada um será o principal responsável”.

Confira 5 dicas destacadas pela gerente de Atendimento Individual do Sebrae Bahia para casais empreendedores superarem juntos as adversidades:

1 - Verificar quais os desafios, nesse atual cenário de pandemia, e construir em conjunto quais os objetivos, metas, investimento, canais de atendimento e abrangência de atuação da empresa.

2 - Identificar as habilidades e experiências individuais, definindo assim quais áreas e tarefas da empresa cada um será o principal responsável;

3 - Contribuir com as decisões da empresa, respeitando principalmente as decisões da área que o(a) companheiro(a) ficou responsável, levando em consideração quem possui maior habilidade;

4 - Definir em conjunto uma rotina para dedicação à empresa, o que será fundamental para estabelecer os limites da atenção ao negócio e o tempo a ser destinado à família;

5 - Monitorar juntos as ações e resultados que estão sendo obtidos, estabelecendo novos rumos quando necessário para a empresa. A participação de ambos pode render muitas ideias a serem colocadas em práticas.


0 comentários :

 
SALVADOR NOTÍCIAS - Notícias, Reportagens, Cultura e Entretenimento.
Todos os direitos reservados desde 2003-2019 / Salvador - Bahia / . Contato: redacao@salvadornoticias.com
- Topo ↑