Seja bem-vindo. Hoje é

terça-feira, 13 de outubro de 2020

Cinco coproduções Globo Filmes são premiadas no 19º Grande Prêmio do Cinema Brasileiro

 


Ao todo foram 15 prêmios e “Bacurau”, foi o grande vencedor da noite 

 

Na noite deste domingo, cinco coproduções Globo Filmes saíram consagradas no 19º Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, que nesta edição foi transmitida pela tv sem a presença de convidados.  “Bacurau” foi o grande vencedor conquistando troféus em seis categorias: longa-metragem de ficção, direção e roteiro original (assinados por Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles), montagem (Eduardo Serrano), melhor ator (Silvero Pereira, que dividiu o prêmio com Fabricio Boliveira por sua atuação em “Simonal”) e efeito visual (Mikael Tanguy e Thierry Delobel). Desde sua estreia mundial no Festival de Cannes, onde arrematou o prêmio do Júri, “Bacurau” recebeu 46 prêmios nacionais e internacionais. O longa conta a história do pequeno povoado de Bacurau, que some do mapa misteriosamente e seus moradores começam a presenciar estranhos acontecimentos e uma série de assassinatos inexplicáveis. 


“Simonal”, foi a segunda coprodução mais premiada na noite de gala do cinema nacional, vencendo em quatro categorias: Primeira Direção de Longa-metragem (Leonardo Domingues), Ator (Fabricio Boliveira), Trilha (Wilson Simoninha e Max de Castro) e Som (Marcelo Costa, Alessandro Larroca, Eduardo Virmond). O filme conta a trajetória do cantor e apresentador Wilson Simonal, responsável por alguns dos maiores hits do país.    


A cinebiografia “Hebe – A Estrela do Brasil”, de Maurício Farias, sobre um dos grandes ícones da tv brasileira - a apresentadora Hebe Camargo - venceu nas categorias Melhor Atriz (Andrea Beltrão) e Maquiagem (Simone Batata).   


Na categoria Melhor Comédia, o vencedor foi “Cine Holliúdy- A Chibatada Sideral”, de Halder Gomes, que também conquistou o prêmio de melhor ator coadjuvante (Chico Diaz), e faz homenagem ao cinema popular do país. A série homônima que se originou do longa também levou a estatueta de Melhor Série para TV Aberta.  


Completando a lista, “Turma da Mônica – Laços”, de Daniel Rezende, foi considerado Melhor Longa-metragem infantil. O longa é baseado na obra homônima dos irmãos Vitor e Lu Cafaggi, e nos personagens criados por Mauricio de Sousa. 


 

0 comentários :

 
SALVADOR NOTÍCIAS - Notícias, Reportagens, Cultura e Entretenimento.
Todos os direitos reservados desde 2003-2019 / Salvador - Bahia / . Contato: redacao@salvadornoticias.com
- Topo ↑