Seja bem-vindo. Hoje é

sexta-feira, 10 de dezembro de 2021

Exportações baianas superam 2020 em 28% no acumulado do ano



 Com crescimento de 28,5% na relação com o mesmo período do ano anterior, quando chegou ao montante de US$ 7,1 bilhões, as exportações baianas totalizaram US$ 9,14 bilhões em 2021, no acumulado entre os meses de janeiro e novembro. “Ao que tudo indica, este ano, devemos igualar ou superar o melhor resultado desde 2013, quando as exportações atingiram US$ 9,6 bilhões. Nós sabemos que a base de comparação se trata de um período conturbado por conta da crise provocada pela epidemia e que a economia ainda requer muitos cuidados, mas temos plena convicção de que o resultado dos esforços do governo nos manterá numa crescente”, avalia o vice-governador João Leão, secretário do Planejamento.

De acordo com a Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), autarquia vinculada à Secretaria do Planejamento (Seplan), responsável pela apuração e análise dos dados, em relação a 2020, o crescimento deve chegar a 25%. Análise da SEI revela ainda que o cenário positivo para as exportações em 2021 foi possível devido a fatores como a manutenção da alta no preço das commodities, a recuperação global da economia, principalmente no primeiro semestre, e ao câmbio desvalorizado, que se mantém consistentemente acima de R$ 5,50/US$, devido às incertezas econômico-fiscais/políticas, tanto deste ano, como, e principalmente ao próximo.

Em novembro, as exportações baianas alcançaram US$ 843,1milhões, com alta de 11,9% sobre o mesmo mês do ano passado. Os embarques, porém, foram 23,7% inferiores na mesma base de comparação, em níveis ajustados tanto pela desaceleração da economia mundial, como também à entressafra e ao peso dos produtos agrícolas na pauta de exportação baiana.

As vendas externas, no período entre janeiro e novembro, foram lideradas pela soja e seus derivados com incremento de 37,7%, seguido pelos derivados de petróleo, petroquímicos e produtos minerais que foram beneficiados pela alta de preços no mercado internacional, e cresceram 23,4% e 67,8% e 215,5%, respectivamente.

A China permanece liderando como principal mercado para as vendas externas do estado com 28,1% de participação no ano e crescimento de 19,8%. É seguida agora pelos EUA com (11,7%) e (41,5%), por Singapura que está com (11,3%) e (18,1%) e pela Argentina com (5%) e (17,5%), respectivamente.

Fonte: Ascom/Seplan

0 comentários :

 
SALVADOR NOTÍCIAS - Notícias, Reportagens, Cultura e Entretenimento.
Todos os direitos reservados desde 2003-2019 / Salvador - Bahia / . Contato: redacao@salvadornoticias.com
- Topo ↑