Seja bem-vindo. Hoje é

sexta-feira, 27 de abril de 2018

Cineasta suíço vem ao Brasil para lançar seu documentário Fiteiro Cultural: Viagem ao Vazio

A produção, que terá lançamento no Cine Sesc e será exibida no SescTV, registra a experiência da artista plástica Fabiana de Barros ao montar quiosques culturais em diversos países


O cineasta suíço Michel Favre estará presente no lançamento do seu documentário Fiteiro Cultural: Viagem ao Vazio, no dia 2/5, quarta-feira, às 20h, no CineSesc. A produção registra os 20 anos da experiência da artista brasileira Fabiana de Barros em arte pública. Seu primeiro Fiteiro Cultural, criado em 1998, foi inspirado nos quiosques de comércio popular das ruas de João Pessoa, na Paraíba. Com essa intervenção artística e coletiva, Fabiana visitou diversos países interagindo com diferentes culturas. O evento de lançamento também marcará a estreia do filme no SescTV, no dia 11/5, sexta-feira, às 20h(assista também em sesctv.org.br/aovivo).

Filha de um dos nomes consagrados das artes plásticas no Brasil, o pintor e fotógrafo Geraldo de Barros (1923 – 1998), Fabiana nasceu na capital paulista e se formou em artes plásticas pela Fundação Armando Álvares Penteado – FAAP, em São Paulo. Nesta cidade, ela dirige o acervo da obra de seu pai, de quem ela acredita ter herdado a arte social através do trabalho dele. O marido de Fabiana, Michel Favre lembra que a conheceu em 1986, época em que ela vivia entre o Brasil, Milão, na Itália, e Genebra, na Suíça, onde moram atualmente. “Muito rapidamente começamos a compartilhar nossas experiências”, comenta o diretor. 

A relação profissional de Fabiana com a Suíça começou em 1994, quando organizou a exposição Migrações, com representantes do país europeu e do Brasil. “Foram mais de 17 artistas que viajaram para São Paulo e eu junto”, afirma Michel. Para a ocasião, a brasileira havia criado uma obra em formato de uma agência de viagens, um quarto fechado nas dependências do Museu de Arte Contemporânea.  No espaço, ela recebia o público com hora marcada e discutia viagens e possíveis encontros com as pessoas. “Uma relação única entre o artista e o visitante. Os fundamentos da prática de Fabiana em torno de uma arte participativa começam ali”, explica o diretor.  

Essa integração com o público se fortaleceu quatro anos depois quando Fabiana foi convidada a participar de um intercâmbio artístico entre Brasil, Suíça e França, em João Pessoa, onde há muitos fiteiros. Na capital paraibana nasceu seu Fiteiro Cultural. Diferente dos quiosques da Região Nordeste – que são casinhas abertas feitas de madeira, nas quais a população local comercializa vários produtos, como artesanatos, bebidas e alimentos –, o fiteiro da filha de Geraldo de Barros era um ponto de encontro, um espaço dedicado às atividades artísticas e manifestações culturais livres.

Em 2002, logo depois de criar seu primeiro fiteiro, Fabiana recebeu convite para o segundo. A artista grega Maria Papadimitriou, do projeto T.A.M.A. – Temporary Autonomous Museum For All (Museu Temporário Autônomo Para Todos), desenvolvia seu trabalho em um campo de ciganos, na periferia de Atenas, na Grécia, e convidou Fabiana para criar um Fiteiro Cultural no local. “Eu achei aquilo incrível”, lembra Fabiana emocionada. No momento em que instalaram o quiosque, as pessoas entraram e começaram a usá-lo. “Como é que eles sabiam melhor do que eu o que que eles poderiam fazer com aquilo? ”. A partir de então, a artista soube que o que era apenas o seu atelier, o seu espaço, não era mais seu, havia virado uma obra.  

Ainda em 2002, Fabiana instalou um Fiteiro Cultural no Museu Cantonal do Valais, em Sion, na Suíça, e assim seguiu. Durante 20 anos, apresentou seus quiosques em 17 cidades no mundo, entre elas estão Nova Iorque, nos Estados Unidos; Havana, em Cuba; Dunquerque, na França; e São Paulo. Nesta última, expos sua obra no Sesc Santo André, na região do Grande ABC. A artista também criou, em 2007, um fiteiro em um ambiente virtual e tridimensional, depois de conhecer os estudantes da Escola Naba, em Milão, na Itália, que lhes apresentam o jogo Second Life. Seu fiteiro virtual foi materializado após uma exposição do cineasta e artista multimídia francês Chris Marker.

No CineSesc, o evento de lançamento de Fiteiro Cultural: Viagem ao Vazio será gratuito e contará com um bate-papo após a exibição, com Fabiana de Barros, Michel Favre e Daniela Capelato, roteirista do documentário.

Sobre o SescTV: 

O SescTV é um canal de difusão cultural do Sesc em São Paulo, distribuído gratuitamente, que tem como missão ampliar a ação do Sesc para todo o Brasil. Sua grade de programação é permeada por espetáculos, documentários, filmes e entrevistas. As atrações apresentam shows gravados ao vivo com grandes nomes da música e da dança. Documentários sobre artes visuais, teatro e sociedade abordam nomes, fatos e ideias da cultura brasileira. Ciclos temáticos de filmes e programas de entrevistas sobre literatura, cinema e outras artes também estão presentes na programação.


SERVIÇO:

Documentário

Fiteiro Cultural – Viagem ao Vazio

Lançamento no Cine Sesc:

Dia/Horário: 2/5, quarta-feira, às 20h
Rua: Augusta, 2075 - Cerqueira César - São Paulo – SP
Tel.: (11) 3087-0500
Recomendação etária: Livre
Grátis. Retirada de ingresso uma hora antes do início.

Estreia no SescTV:

Dia: 11/5, sexta-feira, às 20h
Reapresentações: 13/5, domingo, às 8h; 14/5, segunda-feira, às 5h e às 13h; 16/6, quarta-feira, às 5h; e 17/5, quinata-feira, às 17h.
Duração: 58 min.
Classificação indicativa: Livre
Direção: Michel Favre
Produção: Casa Millagrosa
Realização: SescTV

0 comentários :

 
SALVADOR NOTÍCIAS - Notícias, Reportagens, Cultura e Entretenimento.
Todos os direitos reservados desde 2003 / Salvador - Bahia / . Contato: redacao@salvadornoticias.com
- Topo ↑