Seja bem-vindo. Hoje é

domingo, 14 de abril de 2019

Estudantes usam máscara hospitalar durante aula em solidariedade a colega com câncer

As aulas no Colégio Estadual Heitor Villa Lobos, no bairro do Cabula VI, em Salvador, não são mais as mesmas desde que os estudantes resolveram usar máscaras hospitalares em solidariedade ao colega Bruno Barros, 16, 8ª série, que está em tratamento de um câncer. Bruno precisa utilizar a proteção para se prevenir de infecções oportunistas e a turma resolveu se juntar a ele usando o equipamento para demonstrar solidariedade e também apoio e carinho ao colega.

Por recomendação médica, Bruno tem que usar a máscara em lugares públicos que tenham aglomerados de pessoas. Nesta semana, para a sua surpresa, ao entrar na sala de aula, viu todos os colegas usando máscara, como ele. A ideia foi do seu melhor amigo, Rodson da Silva, 18, que além de mentor da iniciativa, foi quem levou a caixa do produto para distribuir. “Eu fiquei feliz, achei muito legal, fiquei me sentindo melhor em ver que todos estão solidários a mim”, declarou Bruno.

A tia de Bruno, Mônica dos Santos, fala de sua alegria ao ver o ato solidário dos colegas do sobrinho. “Foi uma surpresa bonita que me deixou muito feliz. Com esse acolhimento dos amigos, Bruno está mais tranquilo, não se sentindo diferente entre todos. Ações como essas mostram que, apesar de vivermos em um mundo egoísta, ainda existem pessoas que se colocam no lugar do outro e estão dispostas a contribuir com o bem-estar do outro”.

A diretora Jeana de Oliveira conta que o ato dos colegas de Bruno sensibilizou toda a comunidade escolar. “É muita linda esta ação, emocionante demais. Os nossos alunos são maravilhosos, sempre tiveram senso de solidariedade. Eles são exemplos de que a escola pública cumpre o seu papel de promover o processo de ensino e aprendizagem, bem como de formar cidadãos de bem. O respeito entre eles é algo marcante na nossa unidade. Todos aprenderam a se colocar no lugar do outro. Graças à iniciativa de Rodson, o fiel escudeiro de Bruno, tivemos mais uma oportunidade de mostrar que a Educação pública é acolhedora e sensível ao percurso estudantil”, relata a gestora, que tem sob a sua direção 1.415 alunos dos Ensinos Fundamental II e Médio, além do Ensino para Jovem e Adulto (EJA).

As ações de solidariedade a Bruno vêm se multiplicando na escola. A funcionária da limpeza do colégio, Luciana Sacramento Brandão, resolveu fazer uma rifa para ajudar a família do estudante. E a professora de Língua Portuguesa, Rozzane Garcia, publicou imagem da turma usando máscaras nas redes sociais, despertando apoio do seus amigos no mundo virtual.

SARAHDO – Por conta do tratamento quimioterápico, Bruno Barros nem sempre pode frequentar a escola com assiduidade. Neste caso, ele poderá ser atendido pelo Serviço de Atendimento à Rede em Ambiências Hospitalares e Domiciliares (SARAHDO), desenvolvido desde 2018 pela Secretaria da Educação, em parceria com a Secretaria da Saúde do Estado, já tendo beneficiado mais de dois mil estudantes da rede estadual. Direcionado a alunos enfermos do Ensino Médio e da Educação de Jovens e Adultos (EJA), o SARAHDO foi criado para garantir educação inclusiva a todos que estão internados em hospitais da capital e do interior ou que necessitam estudar em casa. O atendimento educacional especializado, personalizado e humanizado é feito por professores da rede, que passaram por formação continuada em Classe Hospital/Atendimento Domiciliar.

0 comentários :

 
SALVADOR NOTÍCIAS - Notícias, Reportagens, Cultura e Entretenimento.
Todos os direitos reservados desde 2003-2019 / Salvador - Bahia / . Contato: redacao@salvadornoticias.com
- Topo ↑